Negromonte diz não ter que ‘engolir’ decisão ‘pouco inteligente’ do PT de indicar sucessor de Wagner
Foto: Tiago Melo / Bahia Notícias
Se no PT o racha já foi escancarado com uma disputa interna entre quatro pré-candidatos para a sucessão do governador Jaques Wagner (PT), a base aliada começa a demonstrar a insatisfação com o rumo definido pela cúpula petista. A decisão do Partido dos Trabalhadores de que o nome para disputar o Palácio de Ondina será da legenda foi considerada “pouco inteligente” e – nas entrelinhas – antidemocrática pelo presidente do PP na Bahia, deputado federal Mário Negromonte. Em entrevista ao Bahia Notícias, ele voltou a ressaltar que o PT tem “preferência”, mas não exclusividade na indicação. “O PT já veta todo mundo e isso é ruim, é uma decisão não muito inteligente. Não deveria se reunir para dizer que o candidato vai ser do PT e fechar as portas porque ninguém sabe o dia de amanhã. A prova é Marina e Eduardo, que surpreendeu todo mundo. O PT tem alguns problemas também, a fadiga de material por exemplo. Eles têm a preferência, por ter o governo e mais deputados estaduais, federais, vereadores e prefeitos, mas isso que não quer dizer que temos que engolir goela abaixo”, disparou. Recentemente, o presidente do PCdoB na Bahia, deputado federal Daniel Almeida, já tinha feito críticas ao PT, ao pontuar que a legenda “tem se afastado da esquerda”.


Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ Bahia Notícias
 
Negromonte voltou a ressaltar que o PP é hoje um partido de destaque, com “a terceira maior bancada do Congresso” e por ser a legenda “que mais cresceu nas últimas eleições”. Segundo o deputado, Wagner já prometeu um lugar na chapa majoritária para a sigla e ressaltou que não se pode descartar a possibilidade de um “um nome forte” surgir na base aliada. O parlamentar se esquivou quando questionado quem seria o candidato que tem a “simpatia” do PP. “Não quer dizer qual a nossa preferência agora, quer ver quem une mais”, disse. Negromonte também garantiu que não tem qualquer acordo para apoiar o secretário estadual de Planejamento, José Sérgio Gabrielli, para a sucessão de Wagner, além de tecer elogios para o chefe da Casa Civil, Rui Costa. “É um grande secretário e um grande político. Tenho até maior vinculação pessoal com Rui Costa. Mas, isso [apoio do PP a um dos pré-candidatos] ainda vamos discutir internamente e conversar com o governador”, concluiu. Caso o candidato seja o senador Walter Pinheiro, o PP ganha a vaga no Senado, já que o suplente é o ex-parlamentar estadual Roberto Muniz, ligado ao deputado federal João Leão.

Histórico de Conteúdo