Mudança de nome do Aeroporto de Salvador gera polêmica na Câmara
O projeto de lei que propõe a retomada do nome “Aeroporto 2 de Julho” para o aeroporto internacional de Salvador não foi votado nesta quarta-feira (22), como previsto. De autoria do deputado federal Luiz Alberto (PT), a matéria tramita há 10 anos na Câmara dos deputados. A votação não ocorreu por falta de quorum, mesmo com o parecer favorável do relator. Ao se defender da argumentação do DEM, que classificou o projeto seria uma "retaliação política", o autor lamentou que a proposta seja tratada como um “cavalo de batalha” e se trata de uma "reparação com uma data histórica e com o povo baiano". O deputado Waldenor Pereira (PT), em seu parecer, votou pela aprovação do projeto de lei original, de 2002, que propunha o retorno do nome “Aeroporto Internacional 2 de Julho". Luiz Alberto mencionou diversas tentativas de diálogo com a bancada de oposição para um possível acordo para a junção dos nomes, nunca aceitas. Jean Willys (PSol) defendeu que “Aeroporto 2 de Julho” alimenta uma data magna para os baianos. Alice Portugal (PCdoB) citou outra proposição de sua autoria que eleva a data nacionalmente e que, segundo ela, o senador José Sarney, presidente do Senado, “não deixa votar há sete anos". Já a deputada Professora Dorinha (DEM) fez pedido de vistas do parecer do relator. A deputada afirmou ter dúvidas sobre custos provocados pela mudança e mencionou “incoerência” do relator, que reconheceu a importância do nome de um “valoroso deputado do estado da Bahia”. O nome do aeroporto foi alterado em 1998.   

Histórico de Conteúdo