Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quarta, 08 de Janeiro de 2020 - 19:00

MEC e Justiça liberam R$ 10 mi para pesquisa acadêmica em segurança pública

por Angela Boldrini | Folhapress

MEC e Justiça liberam R$ 10 mi para pesquisa acadêmica em segurança pública
Foto: Reprodução / G1

Os ministérios da Educação e da Justiça anunciaram nesta quarta-feira (8) a liberação de R$ 10,1 milhões para bolsas de mestrado, doutorado ou pós-doutorado que tenham como foco a segurança pública. 

Segundo o ministro da Justiça, Sergio Moro, a ideia do Procad (Programa Nacional de Cooperação Acadêmica) em Segurança Pública e Ciências Forenses é que as pesquisas sejam no campo da tecnologia e não de ordem jurídica. 

"É importante destacar que não são bolsas para áreas de estudo jurídico, embora possa haver [pesquisa nesse campo]. O nosso interesse é na área da tecnologia", afirmou durante evento no MEC nesta quarta.

O valor será bancado por diversos órgãos, segundo o MEC. A Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública) arcará com R$ 6 milhões, a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) com R$ 2 milhões e a Polícia Federal com outros R$ 2,1 milhões. 

O número de bolsas não está determinado, segundo o ministro da Educação, Abraham Weintraub. Ele disse que o total de dinheiro será disponibilizado de acordo com o número de mestrandos, doutorandos e pós-doutorandos que forem aprovados no programa, já que as bolsas possuem valores diferentes. 

Para o mestrado, serão R$ 1.500 mensais, enquanto para doutorados o valor é de R$ 2.200 e para pós-doutorado, R$ 4.100. Estes são os valores pagos pela Capes para bolsas de todas as áreas. "Se forem principalmente mestrados, dá mais de 200 bolsas", afirmou Weintraub. 

O edital para a adesão ao programa ainda não foi publicado. Segundo o MEC, ele deve sair nas próximas semanas, e então coordenadores de cursos credenciados pela Capes poderão inscrever projetos sobre o tema, que devem passar por processo seletivo.



Histórico de Conteúdo