Segunda, 20 de Maio de 2019 - 20:00

Gianecchini se inspira em Ryan Gosling para nova novela e diz sentir menos pressão

por Beatriz Vilanova | Folhapress

Gianecchini se inspira em Ryan Gosling para nova novela e diz sentir menos pressão
Foto: Reprodução / TV Globo

Há dois anos longe da TV, Reynaldo Gianecchini, 46, retorna como Régis, o playboy da novela "A Dona do Pedaço" (Globo), que estreia nesta segunda-feira (20). Na nova trama das nove, escrita por Walcyr Carrasco, ele se junta a Josiane (Agatha Moreira) para dar um golpe na mãe dela, a protagonista Maria da Paz (Juliana Paes).

"É muito bom voltar a trabalhar com Agatha. É um reencontro um pouco parecido com 'Verdades Secretas'; a gente tem aquela pilantragem dos dois, um 'mau caratismo', e ao mesmo tempo um fogo de viver a vida, uma coisa sexual. Acho que estamos descobrindo as novas nuances da relação", diz Gianecchini em entrevista.

Com os cabelos mais claros e pinta de surfista -uma proposta do próprio ator à direção da novela-, ele conta que não teve muito tempo para se preparar para o novo personagem, uma vez que estava escalado para outro folhetim. O jeito foi assistir a alguns filmes e tomá-los como referência.

"Fiquei assistindo a vários filmes de atores de que gosto e que têm esse perfil do playboy, do cara 'charmozão', que tem um domínio da situação. [...] Um ator que me inspira muito e que acho que tem muito a ver com esse trabalho é Ryan Goslinig. Acho que ele é muito perfeito, o tipo que ele costuma atuar."

Com tantos anos de televisão e trabalhos no currículo, dos quais gosta de rever para avaliar com um olhar distanciado, Gianecchini acredita que os anos de experiência jogam a seu favor e que, hoje, se sente mais confortável para brincar em cena.

"Tirei um pouco do peso da responsabilidade de estar lá, fazendo televisão e uma novela em horário nobre com milhares de pessoas assistindo. Hoje em dia vou para o estúdio querendo me divertir e podendo brincar mais, porque estou mais tranquilo como ator. Acho que isso vai refletir sempre no resultado."

No entanto, ele garante que o resultado não é exatamente o que busca. "Quando a gente é jovem, vai para ganhar o Oscar, para arrasar, e hoje em dia eu vou para fazer meu trabalho. Quero que as relações sejam ótimas, quero me desafiar, mas o resultado nem é o meu foco. Não penso em ganhar prêmios, vou para viver o dia a dia e dar o meu melhor."

ANO SABÁTICO
Gianecchini se manteve afastado dos holofotes nos últimos meses enquanto tirava um ano sabático com o intuito de cuidar de si mesmo, e de se dedicar à peças de teatro, como "Os Guardas do Taj". Agora, ele diz voltar "cheio de energia e força para começar uma nova novela".

Ele afirma que usou esse período também para repensar sua alimentação, praticar mais esportes e tomar mais banhos de sol. Dentre as novas práticas do ator estão a meditação, o maior contato com a natureza e o resgate das orações. 

"Não mudou nada radicalmente, mas acho que estou me cuidando melhor. Estou mais tranquilo para realmente viver a vida com calma, acordar com calma, encontrar os amigos, trocar mais, ver a família...", conta.

Para ele, tirar um ano sabático é algo de grande importância, já que são anos de "trabalho interno" em que é possível aprender, se reciclar e rever coisas. "Tem a ver com maturidade", diz.

"Quando você é jovem, é normal que queira fazer tudo ao mesmo tempo. Você ainda está querendo se provar e para os outros. Querendo seduzir o mundo. Tem uma hora, depois dos 40, que pelo menos para mim o foco começa a ser outro. Você quer viver a vida também, não é só trabalho. Querer se provar fica muito em segundo plano, ou nem existe mais. Hoje em dia quero estar em paz, quero estar bem."

Questionado sobre engatar um possível romance, depois de passar tantos anos sozinho, ele diz que, por hora, prefere se manter solteiro. "Fico muito bem solteiro, e é por isso que tenho ficado tanto tempo", brinca.

"Às vezes, a vida te coloca em situações como a que ela me colocou e você realmente precisa virar uma chavinha para esse entendimento. Não é fácil, na verdade, é um exercício estar presente. [...] A vida me deu uma chacoalhada boa para eu entender um monte de coisas e querer mudar, ter mais consciência no dia a dia."

Histórico de Conteúdo