O Ministério Público Eleitoral recomendou nesta terça-feira (1º) a rejeição do pedido de registro do partido Rede Sustentabilidade, da ex-senadora Marina Silva, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), segundo a Folha de S. Paulo. O órgão sustenta que o movimento “continua sem condições de ser atendido”, em parecer assinado pelo vice-procurador-geral eleitoral, Eugênio Aragão. “Criar o partido com vistas, apenas, a determinado escrutínio [eleições de 2014] é atitude que o amesquinha, o diminui aos olhos dos eleitores”, diz Aragão. O posicionamento do procurador é baseado na falta de assinaturas mínimas para a criação do partido. Seriam necessários 492 mil nomes e faltaram aproximadamente 50 mil. A decisão do procurador é um dos itens que serão avaliados pelos sete ministros do TSE para definir se aprovam ou não a Rede. Um ato de apoio à formalização do partido está marcado para a tarde desta terça, em Brasília.

Histórico de Conteúdo