Diretor de filme sobre Bolsonaro diz ter perdido patrocínio após fala do presidente
Josias Teófilo dirigiu também filme sobre Olavo de Carvalho | Foto: Divulgação

O diretor de cinema Josias Teófilo diz estar passando por aperto após o presidente reverter a autorização da Agência Nacional do Cinema (Ancine) para captar R$ 530,1 mil para o filme “Nem Tudo se Desfaz” (clique aqui e saiba mais). 
De acordo com informações da coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo, o cineasta revelou que perdeu o principal interessado em patrocinar a obra depois que o presidente se manifestou contrário ao apoio da agência. 


“Recentemente tomei conhecimento sobre a liberação para captação de R$ 530 mil via Ancine para produção de um filme sobre minha campanha nas eleições”, escreveu o presidente em suas redes sociais, em julho. “Por coerência sugeri que voltassem atrás nessa questão. Não concordamos com o uso de dinheiro público também para estes fins”, acrescentou.  


“Fiquei muito triste”, disse Josias Teófilo à coluna. Sem o patrocinador, ele tem bancado do próprio bolso as entrevistas do documentário, mas seus recursos não bastam. “Preciso do dinheiro para licenciar as imagens e contratar a equipe de edição”, afirmou o cineasta, que dirigiu também "O Jardim das Aflições", um documentário sobre Olavo de Carvalho, ideólogo do clã Bolsonaro.

Histórico de Conteúdo