Cia. de Teatro da Ufba estreia ‘Pele Negra, Máscaras Brancas’
Foto: Adeloyá Magnoni / Divulgação

O espetáculo “Pele Negra, Máscaras Brancas”, da Cia. de Teatro da Universidade Federal da Bahia, estreia no dia 18 de março, no Teatro Martim Gonçalves, em Salvador. A montagem, que é a primeira da companhia dirigida por uma mulher negra, Fernanda Júlia, segue em cartaz até 14 de abril, de sexta-feira a domingo, sempre às 19h, dentro da programação do 3° Fórum Negro de Artes e Cultura (FNAC).


Aldri Anuncianção, dramaturgo do espetáculo, explica que “Pele Negra, Máscaras Brancas” se baseia em tese homônima de Frantz Fanon. A montagem distópica irá perpassar três períodos – 1950, 2019 e 2888 - para falar sobre como o processo de colonização construiu sofrimentos psicológicos em corpos negros. Segundo Aldri, ao trazer essas três instâncias de tempo, que dialogam entre si, a peça “tem um pessimismo ao pensar e repensar feridas provocadas pela colonialidade”. “É irônico também ao abordar um presente ultrapassado que traz feridas que persistem - racismo, rejeição as diversidades e outras subjetividades que podem se perpetuar caso não as enfrente”, comenta.


A encenação, composta majoritariamente por negros e negras, tem codireção de Licko Turle, professor visitante da UNIRIO. O elenco é formado por dez artistas selecionados em audição: Iago Gonçalves, Igor Nascimento, Juliette Nascimento, Manu Moraes, Matheus Cardoso, Matheuzza Xavier, Rafaella Tuxá, Thallia Figueiredo, Victor Edvani e Wellington Lima.

 

SERVIÇO
O QUÊ:
“Pele Negra, Máscaras Brancas”
QUANDO: 18, 23, 24, 29, 30 e 31 de março; 05, 06, 07, 12, 13 e 14 de abril, às 19h
ONDE: Teatro Martim Gonçalves – Salvador (BA)
VALOR: Grátis

Histórico de Conteúdo