Quinta, 13 de Dezembro de 2018 - 00:00

Com formato intimista, Ana Cañas promete show 'diferente, mas não menos visceral'

por Jamile Amine

Com formato intimista, Ana Cañas promete show 'diferente, mas não menos visceral'
Foto: Divulgação

Dois anos após a última apresentação na capital baiana (clique aqui), a cantora e compositora Ana Cañas retorna a Salvador com uma série de cinco shows, em cartaz desta quinta-feira (13) a domingo (16), na Caixa Cultural. Para as apresentações, em formato de voz e violão, a artista preparou um repertório exclusivo, que inclui sucessos, a exemplo de “Pra você guardei o amor”, “Esconderijo”, “Mulher” e “Respeita”; versões de clássicos como “Tigresa” (Caetano Veloso), “Velha roupa colorida” (Belchior) e “Volver a los 17” (Violeta Parra); além de novas canções. “É um show intimista e esse formato proporciona um show calcado nas interpretações, mais minimalista, mas não menos expressivo, por conta da dinâmica dos arranjos”, explica a cantora, que subirá ao palco ao lado dos músicos Thiago Barromeo e Estevan Sinkovitz, ambos nos violões e bandolim.


Dona de voz e discursos potentes, Ana destaca que o show mais intimista não comprometerá a força de suas ideias e canções. “Esse formato com os violões é diferente, mas não menos visceral. Com os arranjos mais minimalistas, consigo explorar dinâmicas bem intensas e dramáticas. É uma loucura (risos). O repertório traz o público pra perto, é um convite pra todxs cantarem as canções comigo”, garante a cantora paulista, que apresentará aos baianos também “Lambe-lambe”, “Eu amo você” (Tim Maia) e “Tijolo”, músicas de seu quinto disco, “Todxs”, lançado de forma independente em novembro deste ano, cheio de contundentes mensagens políticas. A faixa-título ganhou um clipe ousado, com participação do rapper Sombra (clique aqui e saiba mais).

 

Confira o clipe de "Todxs":


Desde a arte da capa, que estampa uma cobra dando o bote entre as pernas de uma mulher, o novo trabalho de Ana Cañas é um corajoso manifesto em favor da liberdade e do respeito às diferenças, perpassando por temas como feminismo, homofobia, racismo e sexualidade. “Acho que pautas como liberdade e igualdade se tornam muito mais necessárias e urgentes, pois elegemos de forma democrática um governo que propagou com veemência discursos de ódio, falas preconceituosas e é favorável a retração dos direitos das minorias e o fim de alguns ministérios”, avalia a artista. Ela, que chegou a subir em palanque para defender o ex-presidente Lula e aderiu à campanha “Ele, Não!”, contra a eleição de Jair Bolsonaro (PSL), conta que seu posicionamento político trouxe consequências. “Não sofri ataques físicos, mas a gente sente pessoalmente nas redes a agressividade contra aqueles que defendem ideias democráticas, humanas”.


Apesar das hostilidades sofridas por se envolver em temas controversos, Ana diz que sua postura não impactou financeiramente na carreira. “Minhas posições não me atrapalham comercialmente, pois é triste imaginar que alguém não vá me contratar por defender os direitos das minorias constitucionais ou lutar por justiça social. Apenas faço o que considero minha obrigação como cidadã, defender e ouvir sempre, os que mais precisam nesse país”, defende a artista, citando uma frase de Nina Simone: “Não posso ser artista e não refletir o meu tempo”. Ela destaca ainda que seu envolvimento de forma mais intensa nos temas políticos se deu justamente por sentir a urgência de se manifestar diante do momento pelo tem passado o Brasil. “Em determinado ponto da história política do nosso país - nos últimos dois anos (observando a bizarra parcialidade do judiciário, os discursos de ódio e o fascismo crescentes), senti muita necessidade de sair do lugar de apenas espectadora e usar a minha voz para defender valores e direitos que acredito - e que estão sob forte ameaça no país hoje”, afirma a cantora e compositora, que nesta sexta-feira (14), lançará um novo clipe, sempre engajada nas pautas minoritárias. 

 


Ana Cañas l faz par romântico com Nanda Costa no clipe da música "Eu Amo Você" | Foto: Reprodução / Instagram


No registro audiovisual da faixa “Eu Amo Você”, regravada no novo disco, Ana Cañas fará par romântico com Nanda Costa. “Admiro muito o trabalho da Nanda como atriz, além disso, as bandeiras que ela defende também ressoam com as lutas que acredito, absolutamente relevantes e necessárias”, explica a cantora, contando que é amiga de Lan Lanh – esposa da atriz – há dez anos. “O clipe sugere um amor livre entre duas mulheres que estão muito à vontade com suas escolhas. É um clipe sobre o amor e a liberdade. Sobretudo, a naturalidade das diversas formas de amar. Acredito que, quando vivido na essência, em sua totalidade, o amor é a experiência mais transcendental que podemos experienciar, independente dos gêneros”, defende a artista, que antes de ser cantora estudou artes cênicas, mas diz que jamais se consideraria “atriz de verdade”. 

 

SERVIÇO
O QUÊ:
Ana Cañas
QUANDO: 13 a 16 de dezembro. Quinta-feira e sexta, às 20h; sábado, às 17h e 20h e domingo, às 19h
ONDE: Caixa Cultural Salvador
VALOR: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) | venda de ingressos a partir das 9h de 13 de dezembro, para todas as sessões

Histórico de Conteúdo