Quinta, 29 de Junho de 2017 - 10:00

Viver Bem: Você está preparado para adotar?

Viver Bem: Você está preparado para adotar?
O Brasil é um dos países que mais tem crianças em situação de vulnerabilidade ou para a adoção, resultado das desigualdades sociais que marcam a sociedade e aprofundam as mazelas. Segundo o Cadastro Nacional de Adoção (CNA), existem cerca de 5.500 crianças em condições de serem adotadas e 30.000 famílias na lista de espera.

Leia mais

Fogueiras e fogos de artifícios podem causar ou agravar problemas respiratórios

No mês do São João, pode-se desfrutar de muitas delícias gastronômicas e de festas para lá de divertidas, mas cuidados devem ser tomados durante o arraiá. Nessa época, as fumaças das fogueiras e dos fogos de artifícios podem causar sérios problemas à saúde. Dr. Sidney Souteban, alergologista do Hapvida, alerta que essa fumaça – que é um misto de gases nocivos à saúde - pode provocar quadros de asma ou até mesmo um grave estado de intoxicação.


Mesmo em curto período de tempo, inalar fumaça pode causar efeitos imediatos (agudos). A fumaça é irritante para os olhos, nariz e garganta e seu odor pode ser nauseante. “A fumaça dos fogos e da fogueira - dependendo do que esteja sendo queimado, da distância em que a pessoa esteja e do tempo de inalação - pode desencadear alergias como asma, rinite ou até mesmo um quadro de intoxicação, além de irritar olhos e nariz. Tudo isso desencadeia-se dos gases tóxicos, como o monóxido de carbono (CO) e o cianeto, que são liberados nesse processo”, explica o médico.


Quando há uma quantidade muito grande de inalação da fumaça tóxica, Dr. Sidney alerta que é de fundamental importância que se procure um especialista. “Em um processo de intoxicação por gases como o monóxido de carbono, o procedimento é encaminhar a um atendimento de emergência e oferecer imediatamente oxigênio ao paciente. Caso ainda não haja atendimento médico, é primordial levá-lo a um local aberto e arejado, longe da fonte dos gases”, ressalta Dr. Sidney. Inalar o monóxido de carbono diminui o suprimento de oxigênio do corpo, que pode causar dores de cabeça, reduzir o estado de alerta e agravar uma condição cardíaca conhecida como angina (dor no peito decorrente da doença cardiaca isquêmica). 


Vale lembrar, que aqueles que já tem problemas respiratórios, os riscos podem ser ainda maiores e, com isso, os primeiros socorros têm que ser mais rápidos e mais eficientes. “Pacientes que já sofrem de complicações alérgicas tendem a ter mais facilidade em adquirir novos problemas respiratórios e devem evitar o contato com quaisquer tipos de fumaça. Para eles, o seguro é ficar bem longe dessa emissão de gases”, completa o especialista. Além dos pacientes que já sofrem com esses problemas, as crianças e os idosos merecem atenção especial, pois ambos são suscetíveis a terem alergias respiratórias ou alguma infecção viral.
 
Asma
Esta quarta-feira (21) foi o Dia Nacional de Controle da Asma. De acordo com a International Study of Asthma and Allergies in Childhood (Isaac), que realizou um estudo com crianças e adolescentes, em Salvador, 27% da população manifesta os sintomas da doença. A pesquisa também constatou que em todo o país, a asma tem alta prevalência e grande impacto, devendo ser encarada como problema de saúde pública. Segundo o Ministério da Saúde, a doença é responsável por 400 mil internações hospitalares no país.

 

A asma é uma inflamação crônica e alérgica com componente genético, que provoca dificuldades para respirar e, a depender da gravidade, pode resultar em morte. A doença não tem cura, mas pode ser controlada. “O melhor remédio é, sem dúvidas, a prevenção. Mas para aqueles que já tem a doença, o ideal mesmo é evitar as crises. O paciente deve manter distância de qualquer fumaça, mesmo que seja a de cigarro. Em casa, os ambientes devem estar sempre limpos e arejados, principalmente o quarto. O indivíduo também deve evitar locais com poeira e mofo”, alerta Dr. Sidney Souteban.

Leia mais

Viver Bem: Saiba como aproveitar as 'tentações' juninas sem problemas para a saúde

Junho é, sem dúvida, um dos meses mais festivos e alegres do ano, especialmente no Nordeste brasileiro, onde as festas em homenagem a Santo Antônio, São João e São Pedro mexem com as pessoas e com a economia local. Os arraiais contam com apresentações de quadrilhas, bandas de forró e sertanejo, e, claro, comidas típicas, as deliciosas tentações juninas.

 

A gastronomia junina é repleta de bolos, mingaus, canjica, milho, amendoim e pamonha. Isso, sem contar os doces como pé-de-moleque, maçã do amor, paçocas, balinhas de jenipapo e tantos outros. Só de pensar, dá até vontade de suspirar! Mas é preciso ter muito cuidado, pois a maioria dos alimentos é altamente calórica. Diante de tantas opções, a nutricionista Marília Araújo, do Hapvida Saúde, garante que é possível aproveitar com moderação e fazer algumas escolhas mais saudáveis.

Aqui, a especialista listou algumas dicas preciosas para quem adora a culinária junina!
 
1) ‘Forrar’ o estômago - Antes de sair de casa, coma algo mais leve para não chegar com muita fome e acabar descontando nos alimentos vendidos nos arraiais. Sem tanta necessidade de comer, você vai poder se deliciar na medida certa e não ficar se sentindo cheio de mais, o que até compromete a noite de festa. Afinal, você talvez nem tenha disposição para levantar e dançar as famosas quadrilhas juninas se ficar muito pesado.
 
2) Churrasquinho sem farofa - Quem não curte um churrasquinho no arraial, né? Mas a dica é evitar os acompanhamentos, pois o arroz e a farofa são mais calóricos. Se o espetinho for de carne branca, melhor ainda!
 
3) Preparo - Se você mesmo for preparar a comida, prefira utilizar leite desnatado e adoçante no lugar do leite integral e do açúcar para fazer alguns doces, como pamonhas, canjicas, bolos e mingaus. Assim, é possível reduzir as calorias pela metade.
 
4) Milho pode - Os pratos à base de milho são mais saudáveis porque o milho é rico em fibras, o que faz muito bem para o sistema gastrointestinal. Além disso, o milho contém vitaminas A e C, folato, tiamina, potássio e ferro, nutrientes que ajudam a regular várias funções do organismo. Só tenha cuidado para não exagerar na manteiga! Margarina, que é pura gordura saturada, nem pensar!

 
5) Aparência - Se você for comprar a comida pronta e ela for industrializada, nunca deixe de ver a validade e se a embalagem está intacta. Mas se a comida for preparada na hora, observe bem a higiene do local, a aparência da comida, o ambiente em que ela é conservada e a limpeza de quem manuseia e serve o alimento. A vigilância sanitária costuma fazer inspeções dessa natureza para evitar contaminações alimentares, mas você deve ficar atento aos detalhes. Veja, por exemplo, se a pessoa que toca os alimentos usa touca, luvas e não pega em dinheiro. Isso é fundamental para se evitar transtornos.

 

6) Bebida típica - Evite os refrigerantes, prefira os sucos de frutas típicas que são muito consumidos no período, como suco de acerola, goiaba, cupuaçu e cajá. Se a preferência for uma bebida alcoólica, opte por uma bebida quente, como vinho, que tem propriedades funcionais para o organismo e, se consumido com moderação, protege o coração das doenças vasculares, além de aumentar as taxas de HDL, considerado colesterol bom, no sangue.

Leia mais

Viver Bem: Glaucoma atinge pessoas de todas as idades e pode levar à cegueira irreversível
Com a saúde não se brinca, principalmente quando se trata de um dos sentidos mais importantes para o ser humano: a visão. O glaucoma é uma das doenças oftalmológicas de maior incidência em todo o mundo e a maior causa de cegueira irreversível, de acordo com a Sociedade Brasileira de Glaucoma (SBG). A doença costuma atingir pessoas a partir dos 40 anos, mas, em regra, a patologia pode ocorrer em qualquer idade, dependendo apenas de uma causa que aumente significativamente a pressão intraocular.

Leia mais

Viver Bem: Previna-se das doenças características do outono
O outono é o período de transição do verão para o inverno e caracteriza-se pela redução gradativa das temperaturas e diminuição da umidade do ar. Desta forma, a estação, que segue até o dia 21 de junho, aumenta o número de casos de doenças respiratórias infecciosas, inflamatórias e alérgicas, tais como gripes, rinites, sinusites, bronquite e asma, dentre outras. O ar mais frio, as mudanças bruscas de temperatura, e a convivência em ambientes fechados são os grandes responsáveis pelo aumento do número de casos destas doenças nessa época do ano.

Leia mais

Viver Bem: ‘Alimento dos deuses’, chocolate tem nutrientes e efeito estimulante
Cacau, ou como é conhecido cientificamente Theobroma Cacao, cujo nome Theobroma em grego, quer dizer “Alimento dos Deuses”. Além de saboroso, o chocolate - principal subproduto do cacau - possui nutrientes e tem efeito estimulante. O cacau é fonte de magnésio e flavonoides, que previnem contra os coágulos sanguíneos. Com a produção dos chocolates nas versões mais amargas (a partir de 50% de cacau), a fruta tem inúmeros benefícios para a saúde, pois contém altas doses de proteínas, sais minerais e vitaminas.

Leia mais

Viver Bem: Especialista do Hapvida alerta para doenças crônicas adquiridas no trabalho
Trabalhar é bom, mas ficar doente por conta do trabalho não é nada agradável. É sabido que diversas funções geram graves problemas crônicos à saúde do trabalhador. Para reduzir o número de casos de doenças ocupacionais e até evitar muitas delas, são indicados diversos procedimentos, como a ginástica laboral. A técnica é uma série de exercícios físicos realizados no ambiente de trabalho, durante a jornada, com o objetivo de melhorar a saúde e evitar lesões dos funcionários por esforço repetitivo e algumas doenças ocupacionais.

Leia mais

Viver Bem: Atividade física pode ser um ‘remédio’ para a depressão
Que a atividade física ajuda na prevenção e no tratamento de doenças, todos nós já sabemos. Mexer o corpo pode ser um santo ‘remédio’ até para a cura de algumas enfermidades. O exercício físico é um grande aliado no tratamento da depressão e ajuda a potencializar os resultados clínicos.

Leia mais

Terça, 09 de Agosto de 2016 - 10:30

Desmistificando a Saúde Mental - Dor: é preciso escutá-la

por Cláudio Melo

Desmistificando a Saúde Mental - Dor: é preciso escutá-la
A dor crônica tem forte correlação com o sofrimento psíquico. Diversos estudos, em variadas áreas da saúde, têm se ocupado dessa matéria. Algumas pesquisas afirmam que os sintomas psicopatológicos associados à dor crônica, como depressão e ansiedade, são responsáveis pela piora da qualidade de vida e incapacitação profissional dos pacientes acometidos por essa síndrome.

Leia mais

Terça, 12 de Julho de 2016 - 16:00

Desmistificando a Saúde Mental: Bem Me Quer, Mal Me Quer

por Pablo Sauce

Desmistificando a Saúde Mental: Bem Me Quer, Mal Me Quer
O amor é um pharmakon. A depender da dose, pode ser o melhor remédio para tratar a dor moral de alguém ou o pior veneno do qual se alimenta essa mesma dor. “Quem nunca curtiu uma paixão, nunca vai ter nada, não”, dizia o poeta. O recente caso que envolveu Ana Hickmanne seu fã obcecado,Rodrigo de Pádua, atualiza a questão: como diferenciar uma paixão mórbida de uma saudável?

Leia mais

Histórico de Conteúdo