Sexta, 14 de Agosto de 2020 - 08:00

'Terceiro Turno': A pandemia vai deixar um legado?

'Terceiro Turno': A pandemia vai deixar um legado?
Foto: Paula Fróes/ GOVBA

A preparação da rede de saúde pública para uma alta demanda por causa da pandemia do coronavírus mudou os planos orçamentários de governadores e prefeitos. A chegada do vírus mostrou que a maioria dos estados brasileiros era despreparado para atender, na rede pública, casos graves de pacientes infectados. Diante disso houve uma verdadeira corrida para preparar e ampliar o número de leitos clínicos e os de Terapia Intensiva, tipo demandado e necessário nos casos mais graves da Covid-19.
 

Passados cinco meses, o Conselho Federal de Medicina (CFM) informa que no Brasil o crescimento no número de UTIs desde o início da pandemia foi de 45%. Na Bahia, o acréscimo em relação a fevereiro, quando não haviam casos registrados, para o número atual, foi de 62% nos leitos de UTI. Incluindo unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) e as privadas, adultos, pediátricas e neonatais.

 

Apesar do número positivo, o CFM faz um alerta a respeito da desigualdade de distribuição de leitos, e também teme um retrocesso e que esses leitos sejam desativados com o fim da pandemia.

 

No episódio #39 do Podcast Terceiro Turno os jornalistas Jade Coelho, Ailma Teixeira e Lucas Arraz trazem o ponto de vista do CFM, dados sobre o crescimento de leitos, e ainda a opinião do secretário de Saúde de Salvador Leo Prates. 

 

Com edição de Paulo Victor Nadal, o podcast está disponível no nosso site todas as sextas-feiras, sempre às 8h, e nas principais plataformas de streaming: SpotifyDeezerApple PodcastsGoogle PodcastsCastbox e TuneIn. Na RBN Digital, o programa também é veiculado no mesmo horário.

Histórico de Conteúdo