Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sábado, 02 de Julho de 2022 - 15:40

'No Brasil dos que cultivam o ódio, o 2 de julho é todo dia', diz Lula

por Rebeca Menezes

'No Brasil dos que cultivam o ódio, o 2 de julho é todo dia', diz Lula
Foto: Mauro Akin Nassor / Ag Haack / Bahia Notícias

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou seu discurso na Arena Fonte Nova, neste sábado (2), para comparar a atual situação do país com a luta pela independência travada pela Bahia. "No Brasil dos que cultivam o ódio e a mentira, o 2 de julho é todo dia. E não haverá paz, se não houver luta", defendeu o pré-candidato ao Palácio do Planalto.

 

No texto, Lula aproveitou para fazer um afago às Forças Armadas, que estão entre as principais bases de apoio do principal concorrente do petista nas eleições deste ano, o presidente Jair Bolsonaro.

 

"O Brasil independente e soberano que queremos não pode abrir mão das suas Forças Armadas. Não apenas bem treinadas e equipadas, mas sobretudo comprometidas com a democracia. Cabe às Forças Armadas atuar na defesa do território nacional, do espaço aéreo e do mar territorial, cumprindo estritamente o que está definido pela Constituição", defendeu.

 

Entre as propostas citadas por Lula estavam ainda a revogação do teto de gastos, a defesa de estatais como Petrobras e Correios, e a defesa da Amazônia. "Chico Mendes, Bruno Pereira, Dom Phillips, Dorothy Stang e tantos outros heróis e heroínas que perderam suas vidas na defesa da Amazônia jamais serão esquecidos".

Histórico de Conteúdo