Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Bolsonaro critica o aborto em criança de 11 anos que engravidou após estupro: 'Barbárie'
Foto: Valter Campanato / Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (PL) usou suas redes sociais para criticar a legislação que autoriza o aborto no Brasil e permitiu que uma criança de 11 anos que foi estuprada pudesse interromper a gravidez (lembre aqui).

 

Na quarta-feira (22), a menina de 11 anos conseguiu fazer a interrupção da gravidez num hospital federal de Santa Catarina após semanas impedida por uma decisão judicial e o caso tomar repercussão nacional.

 

“Um bebê de sete meses de gestação, não se discute a forma que ele foi gerado, se está amparada ou não pela lei. É inadmissível falar em tirar a vida desse ser indefeso!”, escreveu o presidente em seu perfil oficial no Twitter. 

 

A legislação brasileira que autoriza o aborto não estabelece limite máximo de idade gestacional para interrupção da gravidez. 

 

Bolsonaro indicou que tanto a criança quanto o feto foram vítimas de “grupos pró-aborto”. 

 

“Sabemos tratar-se de um caso sensível, mas tirar uma vida inocente, além de atentar contra o direito fundamental de todo ser humano, não cura feridas nem faz justiça contra ninguém, pelo contrário, o aborto só agrava ainda mais esta tragédia! Sempre existirão outros caminhos!”

 

 

Bolsonaro ainda afirmou que pediu aos ministérios da Justiça e dos Direitos Humanos que investiguem o caso.

 

“Para nós, tanto a criança de 11 anos quanto o bebê de 7 meses são vidas que precisam ser preservadas. Para vocês e todos os que promoveram essa barbárie, somente uma dessas vidas importam e a outra pode ser descartada numa lata de lixo, mesmo que exista chance de se evitar isso”, declarou o presidente.
 

Histórico de Conteúdo