Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Por 'eleições de 2024', executiva nacional do PV não irá 'endurecer' na Bahia, diz Penna
Foto: Reprodução / Facebook

A divisão interna no PV baiano sobre o apoio ao Partido dos Trabalhadores (reveja aqui) não deve ter interferência efetiva da executiva nacional. Apesar disso, de acordo com o presidente do PV, Luiz Penna, o PV também analisa o futuro político, com foco nas eleições municipais de 2024.

 

"A federação não quer endurecer as coisas. Temos a perspectiva das eleições de 2024. Nós da nacional entramos só onde haja conflito. A instância local são os três presidentes dos partidos da federação", apontou Penna em entrevista ao Bahia Notícias. 

 

O presidente estadual, Ivanilson Gomes esclareceu que todos os ajustes devem ser feitos respeitando a federação (veja aqui). "Tive uma conversa com Penna, ele está resolvendo, tem um pacto na federação. Estamos tentando resolver, mas teremos nossa plenária, onde ouviremos os dirigentes. Essa posição política ocorrendo, voltaremos para o presidente. Sem ferir a federação. Estamos nessa discussão. Tem a decisão da plenária, a partir daí, voltaremos para fazer o alinhamento com a nacional", disse Ivanilson. 

 

Com a federação entre o PV e o PT, existe a incerteza sobre o apoio de lideranças vinculadas aos verdes à candidatura de ACM Neto (UB) ao governo da Bahia. Apesar disso, aliados do ex-prefeito de Salvador acreditam que "alguns quadros" devem seguir com o grupo liderado por Neto (relembre mais). 

 

Apesar da federação, Penna já ressaltou a boa relação com a gestão feita em Salvador (reveja aqui). Porém, anteriormente, já tinha apontado que a "candidatura Lula é a que mais aglutina pessoas e instituições" e que os acordos serão regionalizados (veja aqui).

Histórico de Conteúdo