Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Após vaias em evento do PT, Paulinho da Força nega apoio a Bolsonaro: Nenhuma possibilidade
Foto: Alex Ferreira / Câmara dos Deputados

Mesmo após ter ficado irritado com as vaias em evento do PT na última quinta-feira (14), Paulinho da Força, presidente do Solidariedade, negou que a sigla possa apoiar a candidatura do presidente Jair Bolsonaro (PL) à reeleição. “Não existe nenhuma possibilidade de o partido embarcar na candidatura do Bolsonaro”, disse em entrevista à CNN neste sábado (16).

 

Paulinho ressaltou que a maior chance é de um apoio do partido ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), mas que vai “discutir” o assunto em reunião no início da próxima semana com a presidente do PT, Gleisi Hoffmann.

 

Após a reação dos militantes petistas, Paulinho cancelou o evento do partido que selaria o apoio à candidatura de Lula nas eleições deste ano. “Avisei a Gleisi que não íamos decidir o apoio no dia 3. Não significaria um rompimento do apoio ao Lula, mas gostaríamos de discutir agora em outras condições. O que pensa o PT de uma aliança mais ampla, além de parte da esquerda que o PT juntou até agora”, afirmou.

 

Na ocasião, ele negou arrependimento por ter votado pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, o que seria um dos motivos das vaias no evento petista. “O Solidariedade não quer ser o patinho feio da aliança. Eu, por exemplo, não me arrependo de ter votado no impeachment da Dilma. Então, se for para discutir o impeachment da Dilma, nós não vamos concordar. O PT chama para a festa para ser hostilizado? Ninguém quer ser convidado para a festa para ser hostilizado”, pontuou.

Histórico de Conteúdo