Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Félix Jr. reivindica 'acordo nacional' por vice e diz que PDT terá secretaria com Neto eleito
Foto: Bahia Notícias

Não somente o Republicanos apontou para um acordo nacional para a garantia de que a legenda irá compor a vice da candidatura de ACM Neto ao governo da Bahia (relembre aqui). O PDT também diz ter um. Segundo entrevista do presidente estadual do partido, deputado federal Félix Mendonça, ao Bahia Notícias no Ar, da Salvador FM, a legenda também possui um acordo na seara nacional para chancelar o acordo.

 

"Também teve um acordo nacional do PDT. Ainda se fala muito, acredito que ninguém tenha batido o martelo, pois já estaria definido. Nem o Republicanos, PSDB e PDT estão conversando. Se já tivesse acordo já teria martelo batido. Essa é a palavra do ex-prefeito ACM Neto, estamos avançando mais no tempo. Pode ser que nenhum desses nomes esteja cotado. Eu já declinei, sou candidato a federal, mas acordo não existe ainda. Pode vir a ser uma mulher", pontuou ao BN. 

 

Félix reforçou também que, apesar de não ter nenhuma decisão firmada sobre o nome a vice na chapa e a sua ausência na composição, o PDT tem um acordo com o prefeito de Salvador, Bruno Reis (UB) e o pré-candidato ACM Neto, para que, um dos possíveis candidatos a deputado federal eleitos do partido assumam uma secretaria no futuro governo. "Nossa expectativa é de eleger três. Temos uma conversa com ACM e com Bruno Reis, se ACM ganhar o governo, irá puxar um dos candidatos como secretário", completou.

 

Para Félix, existem "vantagens e desvantagens" no retardo na divulgação do nome a vice na chapa de Neto. "Desvantagem para quem está sendo lembrado. Você termina de não cuidar de sua campanha. Viana e Gualberto seguem seus caminhos. Se não, você descuida de sua base, na expectativa de ser candidato a vice", comentou. 

 

PALANQUE PARA CIRO 

Na avaliação do deputado federal, seria interessante o PDT ter uma participação na majoritária ou o União Brasil apoiar Ciro Gomes exclusivamente. Porém Félix comentou que acredita que seria "muito difícil" ambos os cenário. "Sempre que conversamos com ACM Neto sobre um palanque múltiplo, o PDT ter o espaço, com o alguém representando o partido na majoritária, aí sim estaríamos satisfeitos, com o nosso candidato que é Ciro Gomes", explicou. 

 

"Se o União Brasil apoiasse Ciro no país inteiro, não reivindicaremos a vice, já que nos sentimos contemplados. Um apoio maior, o apoio do UB no país inteiro. Os outros têm bons nomes, o Republicanos com Márcio Marinho, o PSDB com Adolfo Viana, João Gualberto que não se descompatibilizou. Temos no PDT Ana Paula, que está se descompatibilizada, a ex-secretária Andrea Mendonça, Leo Prates. Nomes não faltam no PDT, nem nos partidos aliados. Vamos esperar a decisão do ex-prefeito ACM Neto", apontou o presidente estadual.

Histórico de Conteúdo