Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Terça, 08 de Março de 2022 - 17:00

Nome do PT para concorrer ao governo deve ser escolhido entre sexta e sábado, diz Éden

por Lula Bonfim / Vitor Castro

Nome do PT para concorrer ao governo deve ser escolhido entre sexta e sábado, diz Éden
Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

Com executiva marcada para próxima sexta-feira (11), o Partido dos Trabalhadores (PT) deve anunciar no sábado (12) o nome que figurará como cabeça de chapa para concorrer a eleição ao governo estadual na Bahia. De acordo com o presidente do partido no estado, Éden Valadares, a sigla luta contra o tempo para definir o nome, mas aposta na unidade de ideias para chegar a um denominador comum que agrade as diversas correntes internas. A vontade de alguns petistas de que o senador Jaques Wagner volte atrás e decida concorrer é considerada remota por Éden. 

 

“O clima de unidade interna é o que está guiando a postura e as falas tanto dos candidatos como dos dirigentes, quem sabe se antes disso a gente não constrói o consenso? Tomara que aconteça. Torço e trabalho para isso. Mas, formalmente, é o que disse. Executiva sexta e diretório no sábado”, explicou Valadares.

 

Ao Bahia Notícias, Éden disse que é preciso respeitar a decisão do senador e considerou "página virada" a possibilidade de ele voltar atrás. “Wagner foi nosso primeiro presidente do PT Bahia, deputado federal, secretário, ministro, governador e agora senador. Tem uma longa trajetória de serviços prestados ao PT e ao povo baiano, mas cumprirá outra função a partir de agora, não mais disputando eleições. Ele sempre será nossa referência, um quadro político fundamental do nosso partido e do nosso grupo, sempre terá voz ativa, mas ele está decidido a ajudar Lula lá em Brasília na necessária e urgente tarefa de reconstruir o nosso país. Essa página já foi virada”, disse.  

 

Ainda de acordo com o presidente da sigla, o maior desafio agora é o tempo, já que o partido ainda não conseguiu definir um nome. “Se estivéssemos em 2021, há um ano e tanto das eleições, o caminho natural seria o das prévias. Mas não temos mais esse tempo. Então estamos ouvindo as bancadas, as forças políticas internas, ouvindo Wagner, ouvindo Rui e dialogando muito com os próprios candidatos para acumular opinião, construir pontes de unidade e tomar a melhor decisão”, disse.

 

Na visão do presidente, não há uma disputa interna dentro do partido pela escolha de um nome para representar a sigla. Em relação aos nomes anunciados por Wagner como prováveis para compor a chapa, Valadares assegurou que a melhor decisão será tomada e anunciada até o sábado (12). O ex-governador citou a prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho, o secretário de Relações Institucionais, Luiz Caetano, e o secretário estadual de Educação, Jerônimo Rodrigues.

 

 “Os nomes colocados estão à disposição do partido para cumprir a tarefa, em um clima de muito diálogo, muito companheirismo, para encontrarmos a melhor solução. Todos os nomes tem o respeito da nossa militância e estão aptos a nos representar. Jerônimo, Moema, Caetano, ontem eu vi que [Jorge] Solla também se colocou, enfim. Todos eles tem bagagem para defender nossa candidatura, nosso projeto e estou certo que sairemos deste processo mais unificados. Apresentaremos uma candidatura capaz de representar o excelente governo de Rui Costa, com o apoio de Wagner, Lula e dos nossos aliados, para renovar o nosso projeto de inclusão social e desenvolvimento da Bahia”, finalizou.

Histórico de Conteúdo