Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sexta, 04 de Março de 2022 - 19:20

'Que eu seja mudança', diz Norma Cavalcanti ao ser reconduzida na chefia do MP-BA

por Emily Bomfim / Vitor Castro / Lula Bonfim

'Que eu seja mudança', diz Norma Cavalcanti ao ser reconduzida na chefia do MP-BA
Foto: Vitor Castro / Bahia Notícias

Reconduzida por mais dois anos como procuradora-geral de Justiça na Bahia, Norma Cavalcanti estabeleceu “mudança” como uma das palavras-chave para seu segundo mandato na chefia do Ministério Público da Bahia (MP-BA). Segundo ela, a principal meta no momento é “salvar vidas, combater o crime e diminuir o número de homicídios”.

 

“Desafios renovados. Muito trabalho em prol da comunidade mais sensível, mais humilde; meta de combater o crime organizado e a sonegação fiscal; defender sempre a criança e o adolescente; melhorar todos os sistemas de proteção, em todos os sentidos, contra racismo, combate absoluto à intolerância religiosa e à homofobia. Faremos um trabalho gigantesco”, prometeu a procuradora-geral.

 

Norma reconheceu que enfrentou dificuldades no início de sua gestão no MP-BA, quando enfrentou também o início da pandemia da Covid-19, com desconhecimento do que era a doença e suas consequências.

 

“Nós não sabíamos como começar a trabalhar. Mas eu tive ajuda, parceria, do Tribunal de Justiça, do governo, da Assembleia Legislativa, de todos os poderes constituídos. As relações interestaduais foram muito importantes para avançarmos e conseguirmos salvar o maior número de vidas”, disse a chefe do MP-BA.

 

A procuradora-geral pediu ajuda de “todos os santos da Bahia” para os dois próximos anos de sua gestão e ainda mandou uma mensagem para as mulheres baianas, se oferecendo como referência de mudança.

 

“Eu tenho sempre o pensamento de Santo Agostinho, que diz que devemos ter esperança, que tem duas filhas lindas: a indignação e a coragem. Indignação para não aceitar as coisas como estão. A coragem, para mudá-las. Que eu seja uma mudança para todas as mulheres. Nós temos competência para exercer qualquer cargo”, afirmou.

Histórico de Conteúdo