Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Pelegrino deve ter como 'herdeira política' Marta Rodrigues; PT ainda estuda candidatura
Foto: Reprodução / Facebook

A saída da vida política do, agora, conselheiro do Tribunal de Contas do Município (TCM) Nelson Pelegrino gera uma "herança política". Eleito em 2018 para deputado federal pelo PT, Pelegrino obteve 101.476 e o possível destino desse capital político deve ser destinado para a vereadora de Salvador Marta Rodrigues (PT). 

 

Fontes do Palácio de Ondina confirmaram ao Bahia Notícias que a "natural herdeira da candidatura de Pelegrino é a vereadora Marta". Essas lideranças afirmam que o presidente do PT Bahia, Éden Valadares, e o pré-candidato do PT ao governo do estado, Jaques Wagner, também têm incentivado Marta a ser candidata. 

 

Marta é historicamente ligada a Pelegrino e já foi assessora e chefe de gabinete dele. Apesar disso, outro nome ligado ao ex-deputado é a deputada estadual Maria Del Carmen, mas, de acordo com informações obtidas pelo Bahia Notícias, o grupo político deles dentro do PT, Resistência Socialista, discute a candidatura de Marta. 

 

Interlocutores ligados a Marta também já admitem a disputa do pleito para a Câmara dos Deputados e seguem na articulação para viabilizar a candidatura, com o acréscimo da "herança" deixada por Pelegrino. Procurado pelo Bahia Notícias, o PT da Bahia, através do seu presidente estadual Éden Valadares sinalizou que, apesar da "sentida ausência" de Pelegrino na disputa, o PT "se renova" e tem apresentado "muitos bons nomes".

 

"A vereadora Maria Marighella, tem falado, tem pensado, tem articulado a ideia de ser candidata a deputada federal, a nossa querida Major Denice, que foi nossa candidata a prefeita de Salvador, que também tem se articulado e se preparado para ser candidata a deputada federal. Então, a gente tem buscado uma renovação política na cidade e no estado como um todo, mas aqui em Salvador, onde Nelson tinha sua principal base eleitoral, penso que é uma oportunidade de surgirem e se consolidarem novas lideranças, novas expressões do PT da Bahia”, disse Éden.

 

FEDERAIS DO PT

O cenário para o PT em 2022 deve ser de manutenção dos postos conquistados em 2018. O partido segue em debate para uma federação com alguns partidos e deve definir o futuro eleitoral até abril. Em 2018, o partido obteve 976.686 com os candidatos eleitos. 

 

Os eleitos foram: Jorge Solla com 135.657 votos, Afonso Florence com 130.548 votos, Zé Neto atingiu 129.196 votos, Caetano com 124.647 votos, Waldenor Pereira com 121.278 votos, Valmir Assunção com 118.313 votos, Josias Gomes com 115.571 votos, além de Pelegrino.

 

Dos eleitos, além de Pelegrino, o agora secretário de Relações Institucionais, Luiz Caetano não deve disputar o pleito - após ter o diploma cassado antes mesmo da posse. Informações de bastidores apontam que o ex-prefeito de Camaçari deve tentar eleger a esposa, Ivoneide de Caetano. Os demais tendem a buscar a reeleição. 

Histórico de Conteúdo