Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quarta, 29 de Dezembro de 2021 - 00:00

Chegada de Nilo e Zé Ronaldo seria 'peça de ficção científica', apontam emedebistas

por Mauricio Leiro

Chegada de Nilo e Zé Ronaldo seria 'peça de ficção científica', apontam emedebistas
Foto: Divulgação

O MDB segue sendo cortejado para compor a chapa majoritária nas eleições de 2022 do grupo liderado pelo ex-prefeito ACM Neto (DEM/UB). Forte na disputa ao Palácio de Ondina, o partido, no entanto, não estaria disposto a ser "barriga de aluguel". 

 

Apesar disso, interlocutores apontaram ao BN que o partido não aceitaria gestar nenhum dos nomes que acenam como possíveis integrantes da majoritária de Neto. Dois deles, Marcelo Nilo (PSB) e José Ronaldo (DEM), têm a aterrisagem no MDB ventilada.

 

Integrantes da sigla avaliam que a filiação deles, no entanto, seria uma "peça de ficção científica". Inclusive, o partido teria condicionado a participação na chapa à indicação de um “emedebista-nativo”. Um deles atribui a história à "sanha antiga" de Nilo em participar da majoritária.

 

A indicação do nome "nativo" teria um motivo: as eleições de 2016. Na época, o MDB abrigou o então candidato a vice-prefeito Bruno Reis para a composição na chapa com o candidato à prefeitura da capital baiana, ACM Neto. Agora, em 2022, indicaria um dos quadros que já integram o partido. Por isso não estariam dispostos a receber nomes que chegassem na legenda somente para a candidatura. 

Histórico de Conteúdo