Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Segunda, 20 de Dezembro de 2021 - 15:20

Bahia recebeu quase R$ 300 milhões com o Orçamento Secreto

por Felipe Dourado, de Brasília

Bahia recebeu quase R$ 300 milhões com o Orçamento Secreto
Foto: Reprodução / Câmara dos Deputados

Uma reportagem publicada pelo portal O Globo revelou recentemente que, entre 2020 e 2021, aproximadamente R$ 3,2 bilhões foram empenhados a parlamentares através das emendas de relator. Conhecidas como RP9, e componentes do polêmico Orçamento Secreto, anunciado pelo Governo Federal em 2019, as emendas foram encaminhadas a 290 deputados e senadores, de acordo com o levantamento. O número, que já é alto, pode ser ainda maior, pois ainda não há centralização no acesso aos dados - o que deve ocorrer apenas em março do ano que vem.

 

A bancada baiana no Congresso, que conta com 40 deputados e 3 senadores, foi o segundo reduto que mais recebeu as emendas, cuja destinação não precisa ser informada na prestação de contas. Foram cerca de R$ 300 milhões destinados ao Estado, de acordo com o levantamento. No entanto, nem todos os parlamentares receberam tais emendas, que só são liberadas de acordo com o "comportamento" deles nas votações de pautas de interesse do governo.

 

Imagem: Priscila Melo/Bahia Notícias

 

Ao todo, 23 deputados e dois senadores foram contemplados com verbas, sendo que o deputado João Carlos Bacelar (PL) teve maior valor em repasse: cerca de R$ 70 milhões; enquanto que o senador Angelo Coronel (PSD), ocupou a segunda posição, recebendo cerca de R$ 47,30 milhões. O outro senador da lista, Otto Alencar (PSD), recebeu R$ 20,6 milhões.

 

Dos que não receberam nada, estão os todos os nove representantes baianos do PT, além dos dois parlamentares do PCdoB. Por outro lado, os partidos com a maior quantidade de parlamentares recebendo os repasses foram o PSD, com seis, além de PP e Democratas, ambos com quatro representantes.

Histórico de Conteúdo