Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Terça, 09 de Novembro de 2021 - 18:07

Bruno Reis volta a defender Carnaval em 2022 e manutenção do uso de máscaras

por Bruno Leite / Lula Bonfim

Bruno Reis volta a defender Carnaval em 2022 e manutenção do uso de máscaras
Foto: Bruno Leite / Bahia Notícias

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), voltou a defender, nesta terça-feira (9), a realização do Réveillon e do Carnaval em 2022. De acordo com o prefeito, a cidade depende do retorno dessas atividades já tradicionais para retomar a saúde econômica e dar oportunidade de trabalho às pessoas.

 

Perguntado sobre pesquisas que indicariam que a população de Salvador seria contra a realização do Carnaval, Bruno rebateu dizendo que a prefeitura também realiza levantamentos e que, neles, o público que se envolve na folia seria amplamente favorável ao retorno da festa.

 

“Eu também fiz pesquisa. Tenho feito. Na minha pesquisa, por exemplo, quando você ouve os jovens que participam do Carnaval, dos eventos, a ampla maioria é a favor da realização. O que a gente tem que levar em consideração são os milhares de empregos que são gerados. É visível a dificuldade que as pessoas estão passando nas ruas”, declarou o prefeito.

 

Bruno Reis lamentou o grande número de pessoas em situação de rua em Salvador e revelou uma grande procura da população pelo novo Auxílio Brasil, que deve substituir o antigo Bolsa Família. Segundo ele, a retomada dos tradicionais eventos de verão na cidade pode gerar renda para a população menos abastada.

 

“É tradição da nossa cidade. Toda a estratégia de promoção da nossa cidade, desde a sua existência, foi pautada nesses grandes eventos que giram nossa economia e atraem milhares de turistas. Então é importante para gerar renda. Estamos preocupados com isso. Mas é óbvio, colocando a vida em primeiro lugar, tendo condições sanitárias, vendo o que está acontecendo”, pontuou o prefeito.

 

O alcaide comparou Salvador com outras cidades do país, que já anunciaram a realização das festas de verão, como São Paulo e Rio de Janeiro. Mas ponderou que continuará exigindo comprovante de vacinação para acesso às festas.

 

“Aqui, a gente quer fazer com controle [de público], exigindo [segunda dose da vacina contra a Covid]. É óbvio: não dá para controlar 100% o acesso ao Carnaval, mas no Réveillon já daria. Cumprindo os protocolos, com cuidado, e tendo a segurança necessária, sendo possível fazer, é importante para nossa economia, para ajudar milhares de pais e mães de família que dependem desse trabalho”, afirmou Bruno Reis.

 

Por fim, o prefeito de Salvador defendeu a manutenção da obrigatoriedade do uso de máscara na cidade. Para ele, a retirada da obrigação deve ser a última medida a ser tomada em relação à pandemia da Covid-19. 

 

“Retirar a máscara é a medida última. Eu prefiro ter a perspectiva de realizar o Réveillon, o Carnaval, outros eventos, do que tirar a máscara. A máscara, está mais do que comprovado, é a ferramenta mais eficiente para o enfrentamento à pandemia. Eu só cogito retirar a máscara em Salvador após a imunização completa de todos os públicos alvos”, finalizou.

Histórico de Conteúdo