Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Após tumulto em ato com Lula, Rosemberg diz que não terá mais 'generosidade' com Alden
Foto: Reprodução/TV AL-BA

O deputado estadual e líder da bancada governista na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Rosemberg Pinto, fez um discurso combativo e afirmou que não terá mais “generosidade” com o colega Capitão Alden (PSL), após o tumulto criado por ele na última quarta-feira (25), durante visita do ex-presidente Lula à sede do Pode Legislativo Baiano (reveja). Na tribuna da Casa, na tarde desta terça-feira (31), Rosemberg relembrou a passagem do colega pela Comissão de Ética da Casa, baseada em uma alegação de que os colegas de oposição recebiam propina da prefeitura de Salvador. 

 

O parecer da Comissão, inclusive, aguarda liberação da pauta da Casa para ser apreciado em plenário. O colegiado sugeriu a suspensão do mandato de Alden por 30 dias (reveja). Segundo Rosemberg, a decisão atende também a uma avaliação coletiva, apontada em reunião do Colégio de Líderes, de que Alden merecia, naquela ocasião, uma chance, uma punição mais branda, apesar de o erro ter sido avaliado considerado grande.

 

“Nós verificamos aqui na frente dessa Casa uma afronta antiética, extremamente equivocada do nosso colega Capitão Alden, que veio aqui provocar as pessoas. Digo isso porque quando o deputado Alden fez uma acusação contra deputados desta Casa, me ligou pedindo a minha generosidade para evitar que levasse ele a cassação”, relembrou o líder governista, sem deixar de pontuar acusações feita pelo oposicionista contra o governador Rui Costa (PT) durante a sessão anterior. 

 

“Semana passada fez acusações levianas contra o governador Rui Costa e essa semana uma afronta desse tipo. Não terei mais generosidade com esse tipo de fato. Não me peça mais. Não me ligue mais para pedir que não tenha a condenação que o Regimento permite. É preciso que analise esse fato com as regras que denotam essa Casa, à luz do regimento dessa Casa. Eu não permitirei, de hipótese alguma, que a gente faça qualquer tipo de assinte às manifestação de qualquer um parlamentar, mas não podemos permitir isso. Não podemos aceitar. Quero dizer aqui que, a partir de hoje, com o colega que fez essa manifestação não teremos mais generosidade“, finalizou. 

Histórico de Conteúdo