Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

TCM: Pelegrino agradece apoios, fala em 'nova etapa' e recusa ideia de 'aposentadoria'
Foto: Bahia Notícias

O deputado federal licenciado Nelson Pelegrino (26) agradeceu com ênfase a todas as manifestações de apoio que tem recebido para sua provável indicação como conselheiro do Tribunal de Contas do Município do Estado da Bahia (TCM-BA). O nome do atual secretário estadual de Desenvolvimento Urbano tem colecionado manifestações favoráveis de diversas siglas partidárias. A lista integra o partido no qual é filiado, o PT, além de PP, PSD, PSB, PDT e PSDB (veja aquiaqui e aqui). 

 

“Tive a preocupação de ligar para todos os parlamentares para pedir o apoio, o voto, mas estou muito agradecido pelas manifestações dos partidos. Não poderia deixar de agradecer a pessoas que foram fundamentais nesse processo, que eu não trilhei essa caminhada sem consultar. Primeiramente ao governador Rui Costa, a maior liderança política do nosso estado, que me deu o aval, o ok para prosseguir adiante. O senador Jaques Wagner, o senador Otto também, o vice-governador João Leão, o senador Angelo Coronel, a deputa Lídice da Mata, o atual presidente da Assembleia, com quem me consultei e me aconselhei também”, lista o deputado, acrescentando outros nomes como os deputados Nelson Leal e Marcelo Nilo e o presidente estadual do PT, Éden Valadares. 

 

Ao Bahia Notícias, Pelegrino fez questão de esclarecer que a possível mudança representará uma “nova etapa em sua vida pública” e não poderá jamais ser entendida como um aposentadoria. “Se depender de mim eu vou morrer trabalhando”, disse. 

 

“É uma nova etapa na minha vida, depois de 40 anos de militância política partidária. Comecei com 17 anos no movimento secundarista. Atuei como advogado de sindicato, como deputado estadual por dois mandatos, deputado federal por seis mandatos, secretário de Estado 3 vezes. Acho que com essa experiência vou ajudar muito e fazer o que sempre fiz, trabalhar de forma coletiva.”  

Histórico de Conteúdo