Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Acusado de estelionato é preso em operação contra fraudes no Detran
Foto: Divulgação/ PC-BA

Um homem acusado de estelionato foi preso no bairro da Caixa d'Água, em Salvador, nesta quinta-feira (12). Ele é um dos alvos da Operação Fake Rent, realizada pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) na capital e nas cidades de Lauro de Freitas, Dias d'Ávila, Simões Filho, Camaçari e Eunápolis. Durante as ações, são cumpridos três mandados de prisão e 21 de busca e apreensão não só na Bahia, mas nos estados de Alagoas, Goiás e Sergipe.

 

De acordo com a Polícia Civil baiana, que executa as prisões no estado com equipes do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), as ações visam coibir fraudes e adulteração de documentos de veículos subtraídos de locadoras. Conforme as apurações do MP-BA, o golpe teve início há cerca de cinco anos no Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-BA). 

 

Segundo apurado, os envolvidos cooptam pessoas para alugarem veículos pertencentes a grandes locadoras nacionais e estrangeiras, contam com a ajuda de despachantes e corrompem servidores do órgão estadual de trânsito para inserirem dados falsos nos sistemas informáticos do órgão. A partir daí, identificaram que, após subtrair os carros de locadoras, sendo a maioria de luxo, os fraudadores conseguiam transferir para "laranjas", pessoas falecidas ou terceiros, que tiveram seus dados utilizados sem seu conhecimento, a partir da adulteração com a participação de servidores do Detran. O prejuízo estimado é de mais de R$ 10 milhões, com mais de 100 veículos roubados.

 

Equipes dos Departamentos de Polícia Metropolitana (Depom), de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), da Assessoria Executiva de Operações de Polícia Judiciária (Aexpj), e Coordenação de Operações Especiais (COE) apoiam as ações do Gaeco/MP-BA. São apurados crimes de associação criminosa, estelionato, falsidades documentais, inserção de dados falsos nos sistemas informáticos e corrupção ativa e passiva. Além dos mandados de prisão, busca e apreensão, a operação também prevê afastamentos de função pública, proibições de exercício de atividade econômica e restrições veiculares.

Histórico de Conteúdo