Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Bernadete Souza agrada, mas indicação não é definitiva, sugere presidente do PSOL
Foto: Divulgação / Prestas por Salvador

Mulher negra, feminista, assentada da reforma agrária, yalórixa, ativista do movimento negro, graduada em Letras pela UNEB e Especialista em Educação do Campo e Agroecologia pela USP. São essas as principais características que fortalecem a indicação de Bernadete Souza para disputar o comando do governo baiano em 2022 pelo PSOL. Apuração feita pelo BN confirma que o nome agrada internamente, porém não é definitivo. 

 

A indicação de Bernadete foi feita no último domingo (18) pela co-vereadora Laina Crisóstomo, da mandata coletiva Pretas por Salvador, durante a plenária virtual de Ilhéus do 7° Congresso do PSOL. Bernadete foi candidata a prefeitura de Ilhéus em 2020 pelo PSOL e em 2018 a co-senadora pelo partido. 

 

Presidente estadual da sigla na Bahia, Fabio Nogueira garantiu que já é decisão do partido ter candidatura própria para o governo do Estado e para o Senado. “O partido ainda vai passar por um processo interno de diálogo e debate. O nome apresentado até o momento é o da Bernadete, mas vai ser uma decisão do partido, que está debatendo perfis e programas para a Bahia e a um debate muito forte internamente para que estudemos nomes sintonizados com esse momento que o país atravessa”, destaca o presidente. Bernadete reúne muitas das características desejadas pela legenda: mulher, negra e forjada na luta coletiva. 

 

Vereador do PSOL Feira de Santana, Jhonatas Monteiro, o Rasta, explica que a fase atual das tratativas internas em torno dos nomes tem um caráter de “acúmulo, de levantar nomes, mas não conclusivo”. 

 

“O nome da companheira Bernadete foi apresentado em uma das plenárias congressuais. Eu não estava nesta. Mas, em que pese ser um nome significativo pela sintonia que tem com um conjunto de lutas que o PSOL vem articulando e com especial destaque para os povos tradicionais de matriz africana, essa definição em torno da disputa nacional e da disputa estadual só acontece, na prática, após a o período congressual. No caso da Bahia, até agosto”, pondera. 

 

A co-vereadora Laina Crisóstomo confirma que outras pessoas podem se colocar e haver alguma disputa, no entanto, até o momento, o nome que está posto é da pré-candidata Bernadete Souza. 

Histórico de Conteúdo