Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

ACM Neto não vê Lula como fator decisivo para eleições na Bahia em 2022
ACM Neto | Foto: Reprodução / YouTube / Bahia Notícias no Ar

O ex-prefeito de Salvador e presidente do Democratas, ACM Neto, classifica o ex-presidente Lula (PT) como "uma das lideranças políticas de maior peso do Brasil". No entanto, para Neto, o petista não é capaz de definir o rumo das eleições de 2022 na Bahia. Ele foi o entrevistado desta segunda-feira (12) no programa Bahia Notícias no Ar, da rádio Salvador FM.

 

"Ninguém pode deixar de considerar o peso político da figura de Lula. [...] Presidente duas vezes, tem uma história caminhando pelo país, existe um segmento da sociedade que é 'Lulista'. Agora, Lula no jogo muda a eleição da Bahia? Na minha opinião não. O eleitor baiano é maduro o suficiente para saber distinguir o que é a eleição para presidente e o que é para governador. O Lula é forte e tem voto, agora, vai decidir a eleição na Bahia? É outra história, eu acho que não", afirmou Neto.

 

ACM Neto comentou, ainda, a confiabilidade do sistema eleitoral do Brasil, defendeu o voto auditável e disse que voto impresso traz risco à democracia.

 

"Eu acho que o nosso sistema eleitoral é seguro, eu já perdi e já ganhei eleição com esse sistema. O Brasil tem um dos sistemas mais modernos do mundo e o voto tem que ser auditável, é preciso ter um sistema que garanta a confiabilidade e segurança de que o voto do cidadão é o que vai estar contabilizado na urna. Hoje o sistema já pode ser auditável. Acho que o voto impresso traria muito mais incerteza, insegurança e risco à democracia", disse.

 

O modelo de voto impresso é o principal ponto defendido pelo presidente Bolsonaro nos últimos tempos. Uma comissão especial foi criada pela Câmara dos Deputados para analisar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 135/19 que torna obrigatório o voto impresso. Para entrar em vigor já no ano que vem, a proposta precisa ser aprovada na Câmara e no Senado até outubro.

Histórico de Conteúdo