Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Investigação apura envolvimento de Lázaro Barbosa com empresários e políticos
Foto: Reprodução/TV Globo

Morto em confronto após 20 dias de fuga, Lázaro Barbosa, de 32 anos, não agiu sozinho, segundo a polícia, que aponta o envolvimento dele em uma organização criminosa (leia mais aqui).

 

“Nessa organização criminosa, a gente já levantou que pessoas importantes participam dela. Nós temos empresários, fazendeiros, políticos”, disse a delegada Rafaela Azzi.

 

Segundo publicação do Fantástico, as investigações indicam que Elmi Caetano pode ser o mandante de uma chacina cometida por Lázaro, em Ceilândia, no Distrito Federal. A família do fazendo Cláudio Vidal foi assassinada com tiros e facadas no dia 9 de junho. A mulher dele foi feita refém, foi estuprada por Lázaro e encontrada morta no dia 12 de junho.

 

“Considerando que havia um laço anterior, que o Lázaro já era conhecido do proprietário e que na entrevista o proprietário fala que aquela família devia um dinheiro a ele, nós não descartamos a hipótese de que ele tenha realmente usado Lázaro para cobrar a dívida, e em não recebendo, matar aquelas pessoas”, explica Rafaela Azzi.

 

As investigações apuram, também, se Ellen Vieira, viúva de Lázaro e a ex-mulher dele, Luana Cristina, teriam ajudado.

 

A defesa de Elmi Caetano negou que o fazendeiro seja o mandante da chacina no Distrito Federal.

Histórico de Conteúdo