Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quarta, 26 de Maio de 2021 - 00:00

Manutenção das indicações de deputados do PDT pode manter base governista 'intacta'

por Mari Leal / Mauricio Leiro

Manutenção das indicações de deputados do PDT pode manter base governista 'intacta'
Foto: Divulgação

A recente reforma administrativa do governo Rui Costa (PT) foi o ajuste de espaços tão esperado após as eleições de 2020, quando o PSB encampou a candidatura petista da Major Denice, capitaneada pelo próprio governador, e o Podemos marchou com candidatura do deputado federal Bacelar, também com aval do mandatário estadual, enquanto PDT e PL marcharam com Bruno Reis (DEM). O rompimento com o PDT, no entanto, por hora, deixa em suspensão a possibilidade de manutenção das indicações dos deputados estaduais da legenda - Samuel Júnior, Euclides Fernandes e Roberto Carlos - e do deputado federal Alex Santana. 

 

Enquanto os parlamentares tendem a permanecer na base, sob a alegação de que a decisão da legenda em apoiar Reis foi tomada de forma unilateral pelo presidente estadual Félix Mendonça Jr., o dirigente da sigla alega que somente na próxima segunda (31), em reunião com os parlamentares, a situação será decidida. Conforme apurado pelo Bahia Notícias, a decisão de Félix Jr. de, enfim, dialogar com os pares pode ter chegado um pouco tarde. 

 

“O que ficou acertado é que o governo tem interesse em nos manter [os deputados] na base e que manteria nossos espaços. Agora, cabe a nós buscar possibilidade de ampliar esses espaços. Eu digo que não houve nenhuma conversa do presidente do partido com os deputados da sua decisão. Foram decisões tomadas unilateralmente, então, a ele também cabem as consequências dessas decisões”, antecipa Samuel.

 

De acordo com o deputado, apenas os cargos com indicação pessoal de Mendonça devem ser substituídos. Na Assembleia Legislativa, além de Samuel Júnior, os pedetistas Euclides Fernandes e Roberto Carlos seguiriam na base governista, mesmo com o rompimento da legenda. 

 

Em contrapartida, uma fonte, sob condição de anonimato, aposta que todas as indicações do PDT cairão. No entanto, parece pouco provável que o governo queira, neste momento, macular a base governista, até mesmo na Assembleia Legislativa. Neste caso, negociar as indicações como elemento de troca parece mais próximo da realidade e da possibilidade de garantir a manutenção do “tudo como dantes no quartel-general de Abrantes”. 

 

Dentre as indicações do PDT ainda vigente no governo está a presidência da Junta Comercial da Bahia (Juceb), com Andréa Mendonça, irmã do presidente estadual da legenda, além do genro do deputado Roberto Carlos, Thales Dourado, diretor do Ibametro; o filho do deputado estadual Euclides Fernandes, Yann Fernandes, diretor de Desenvolvimento Empresarial do Ibametro; e a esposa do deputado Samuel Junior, Ariene Couto, diretora de Política e Economia Agrícola da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura (Seagri).

Histórico de Conteúdo