Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quarta, 28 de Abril de 2021 - 18:40

Deputados pedem investigação de assassinatos de acusados de furtar carne em supermercado

por Mari Leal / Lula Bonfim

Deputados pedem investigação de assassinatos de acusados de furtar carne em supermercado
Foto: Reprodução / Correio

Os deputados estaduais Jacó (PT) e Olívia Santana (PCdoB) pediram, em sessão realizada na tarde desta quarta-feira (28) na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), a abertura de uma investigação especial das mortes de Bruno Barros da Silva, de 29 anos, e seu sobrinho Ian Barros da Silva, de 19, na segunda-feira (26).

 

Ambos os homens teriam sido flagrados, segundo o jornal Correio, furtando alimentos no supermercado Atakarejo, em Amaralina, e depois apareceram mortos com sinais de tortura na comunidade da Polêmica, em Brotas.

 

“Esses jovens foram recolhidos pela segurança do Atakarejo, que acionou a gerência da loja. O gerente da loja, ao invés de ligar para a Polícia, ligou para traficantes, para o poder paralelo. E apareceram 10 homens fortemente armados no Atakarejo de Amaralina, pegou os dois homens e, poucas horas depois, eles foram encontrados com cerca de 50 tiros de metralhadoras e pistolas. Tomaram facadas, tiveram o rosto deformados. Que estado é esse? Que democracia é essa?”, relatou o deputado Jacó.

 

O deputado petista afirmou que, enquanto presidente da Comissão de Direitos Humanos da AL-BA, encaminhou um ofício à Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), para que seja nomeado um delegado especial para cuidar desse caso.

 

“Nós não podemos aceitar aqui na Bahia que donos do poder, dessas grandes redes de supermercado, se sintam acima da lei e tenham seu próprio tribunal da morte, de execução ao arrepio da lei. Nós vivemos em um estado democrático de direito”, afirmou.


Foto: Reprodução / Correio

 

Olívia Santana também usou seu tempo de fala na sessão para comentar o caso. A deputada comunista afirmou que seu sentimento diante dos homicídios é de dor e indignação, lembrando que as vítimas se tratavam de dois jovens negros e que o Brasil enfrenta um grande desafio social, com o aumento da extrema pobreza.

 

“As fotos mostram eles detidos dentro de uma sala do referido supermercado com alguns quilos de carne do lado. Depois, essas pessoas foram retiradas daquelas instalações, levadas do supermercado por um grupo de criminosos, e são mortas por 30 tiros. Tortura e bala para pessoas famintas”, criticou a parlamentar.

 

O caso está sendo investigado pela 1ª Delegacia de Homicídios (DH Atlântico), que já possui um indicativo dos autores do crime. Até o momento, ninguém foi preso.

Histórico de Conteúdo