Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Vacinas do Consórcio Nordeste devem ser enviadas ao Ministério da Saúde, diz Pazuello
Foto: Reprodução / CNN

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira (15), afirmou que possui um acordo com os governadores nordestinos para o envio das 37 milhões de doses da vacina Sputnik V, compradas pelo Consórcio Nordeste junto ao Fundo Soberano Russo, ao governo federal, incluindo assim no Plano Nacional de Imunização (PNI).

 

A fala de Pazuello encontra amparo nas declarações do presidente do Consórcio Nordeste, Wellington Dias, também governador do Piauí. No entanto, bate de frente com outra informação de que as doses compradas pela Bahia, como parte do Consórcio do Nordeste seriam utilizadas para vacinar a população baiana (veja aqui).

 

“O PNI é base da vacinação brasileira, pelo SUS. Os estados e municípios podem comprar a vacina? Sim. E o produto da compra deve vir para o PNI, para ser distribuído para todo o Brasil. Não deverá haver estados vacinando antes de outros estados. Nós somos um só país. Não haverá essa divisão entre norte, sul, leste ou oeste; ricos e pobres. Essa é a posição do Ministério da Saúde, do SUS. Essa é a posição de todos os governadores que trataram conosco, quase a totalidade. Então nós temos que tomar cuidado com as propostas e as decisões paralelas”, afirmou Pazuello.

 

“Vocês sabem que foram comprados 37 milhões com o Consórcio do Nordeste? Sim. O que nós combinamos com o Consórcio Nordeste e todos os governadores? O contrato é assinado por eles e é trazido para o Ministério, para que, fechando um segundo contrato com o Consórcio, receba essas doses, financie essas doses e distribua pelo PNI”, afirmou o ministro da Saúde.

 

“Não podíamos perder a compra de 37 milhões. Por isso, nós trabalhamos sábado e fechamos com o Consórcio. O Consórcio termina a contratação, envia os contratos, o Ministério fecha um novo contrato, assumindo o pagamento, o recebimento e a distribuição das doses pelo PNI. Isso foi unanimidade entre todos os governadores do Consórcio, sem exceção”, ressaltou.

 

Das 37 milhões de doses adquiridas pelo Consórcio Nordeste, foi anunciado que 9,7 milhões seriam direcionadas exclusivamente para a Bahia. Entretanto, caso se concretize o anunciado por Pazuello, o imunizante terá que ser enviado para Brasília, sendo redistribuído para todos os estados brasileiros.

Histórico de Conteúdo