Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

'SSA não tem condições de retomar eventos'; Reis prepara pacote de incentivos para setor
Foto: Beto Júnior/Secom

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), ainda não vê condições de retomada de eventos e festas na cidade. Paralisado há quase um ano, o setor de entretenimento tem pressionado e cobrado das gestões estaduais e municipais medidas nesse sentido. Um grupo de empresários baianos se reuniu em Brasília na última terça-feira (9) em busca da aprovação do Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (veja aqui), e nesta quinta-feira (11) profissionais da categoria estão realizando uma manifestação em frente ao Shopping da Bahia, em Salvador.

 

De acordo com o gestor da capital baiana, a prefeitura planeja um pacote de estímulo de incentivos fiscais pra ajudar o setor quando for possível a realização dos eventos e festas. A medida vai privilegiar artistas locais e apoiar eventos na cidade. Bruno Reis assegurou que a prefeitura tem recursos separados para isso.

 

Em entrevista à imprensa nesta quinta o prefeito lamentou pelo setor, mas disse não tem condição de permitir realização de festas e shows. “Ainda mais com esse risco iminente de uma segunda onda ganhar maiores proporções [...] os números estão aí, e contra números não há fatos e nem argumentos”, justificou.

 

O prefeito chamou a atenção para a ocupação de UTIs Covid-19 na cidade, que começou o dia em 74%. Ele também destacou que os novos casos, óbitos e a taxa de transmissão do vírus na cidade voltaram a crescer.

 

Bruno Reis destacou que autorizou a realização de apresentações de voz e violão nos bares da capital, a também da reabertura de teatros, para que os artistas possam produzir lives e materiais para comprovar a utilização de recursos da Lei Aldir Blanc.

 

A manifestação do setor de entretenimento nesta quinta tem como lema "Queremos trabalhar, a culpa não é nossa" (lembre aqui).

 

Na peça publicitária divulgada nas redes sociais eles pedem para que as pessoas apareçam de preto no protesto.

 

A categoria é formada por músicos, produtores, roadies, técnicos de som, luz e led, seguranças, dançarinos, carregadores, motoristas, garçons, cozinheiros, barmans, cordeiros, empresários e artistas.

 

Veja vídeo da manifestação:

 

Histórico de Conteúdo