Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quinta, 14 de Janeiro de 2021 - 11:51

Em acordo com Rui, João Leão assume Casa Civil e Nelson Leal vai comandar SDE

por Bruno Luiz

Em acordo com Rui, João Leão assume Casa Civil e Nelson Leal vai comandar SDE
Da esquerda para direita, João Leão e Nelson Leal | Foto: Montagem/ BN

O vice-governador João Leão (PP) vai assumir o comando da Casa Civil. Atual presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) em fim de mandato, Nelson Leal (PP), vai assumir a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), hoje chefiada por Leão.

 

A informação foi confirmada pelo Bahia Notícias com fontes do partido. O acordo foi selado nesta quinta-feira (14), em café da manhã feito pelo governador Rui Costa com Leão, Leal e o candidato à presidência da AL-BA, Adolfo Menezes (PSD). A reportagem apurou que o convite para Leão assumir a Casa Civil partiu do próprio Rui. O vice-governador, por sua vez, chamou Leal para substituí-lo, com a concordância do petista.

 

A Casa Civil é atualmente chefiada pelo interino Carlos Mello, no cargo desde junho, quando o então secretário Bruno Dauster pediu exoneração da pasta. O ex-titular foi citado na Operação Ragnarok, que investiga irregularidades na venda de respiradores que nunca chegaram para o governo baiano. Em depoimento à Polícia Civil, alvos da ação, ligados à empresa Hempcare, que forneceria os equipamentos ao estado, disseram que a negociação de compra foi feita com Dauster. Eles acusaram pessoas próximas ao ex-secretário de cobrarem propina pela venda dos respiradores.

 

O governador Rui Costa confirmou nesta quarta (13) que fará mudanças no secretariado nos próximos dias. Os novos postos de Leão e Leal integram o conjunto de alterações anunciado pelo petista, que pretende fazer trocas em outros postos. 

 

A nomeação também é vista como forma de acomodar o PP, que abriu mão da candidatura de Niltinho à presidência da AL-BA, em prol de Adolfo Menezes (entenda aqui). Com o PSD, a sigla travou uma disputa pelo comando da Casa, mas foi obrigada a recuar após o adversário reunir maioria dos votos necessários - 32 - para se eleger. Com a articulação, Rui pacifica os ânimos e assegura, pelo menos por enquanto, a unidade da base aliada para 2022.  (Atualizada às 12h17)

Histórico de Conteúdo