Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Deputada registra queixa contra colega que apalpou seus seios durante sessão
Fernando Cury (foto) é acusado por importunação sexual | Foto: Divulgação

A deputada estadual Isa Penna (PSOL-SP) registrou queixa por importunação sexual e uma denúncia formal por quebra de decoro contra o deputado estadual Fernando Cury (Cidadania-SP). O parlamentar apalpou os seios da colega durante sessão na noite de quarta-feira (16) na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp). 

 

Um vídeo público da sessão registra o momento. As imagens mostram que a deputada conversava com o presidente Cauê Macris (PSDB), apoiada no balcão do plenário, quando Cury se aproximou por trás dela, colocou e manteve as mãos na cintura dela, na altura dos seios. 

 

 

Nesta quinta (17), por meio de nota, a deputada relatou que ela e outras parlamentares já foram assediadas em outras ocasiões. "A deputada Isa Penna é conhecida por atuar em prol do combate à violência contra as mulheres e afirma que a violência política de gênero que sofreu publicamente na ALESP infelizmente não é um caso excepcional, dado que ela e as deputadas Mônica Seixas e Erica Malunguinho, do mesmo partido, já foram assediadas em ocasiões anteriores", diz a nota.

 

Em discurso no plenário, Isa Penna também relatou que o caso não era isolado. “O caso que a gente vive não é isolado. A gente vê a violência política e institucional contra as mulheres o tempo todo. O que dá direito de alguém encostar numa parte íntima do meu corpo? Meu peito é íntimo. É o meu corpo. Eu estou aqui pedindo pelo direito de ficar de pé e conversar com o presidente da Assembleia sem ser assediada”, afirmou Isa Penna.

 

A deputada também denunciou Cury por decoro parlamentar e pediu a cassação do mandato do deputado ao Conselho de Ética da Assembleia.

 

Em nota, Arnaldo Jardim, presidente estadual do Cidadania de São Paulo, e Roberto Freire, presidente nacional do Cidadania, condenaram a ação: "Com relação ao episódio envolvendo o deputado estadual Fernando Cury, o Cidadania analisando as imagens, exige as devidas explicações do parlamentar e encaminha o caso ao nosso Conselho de Ética, para que ouvido o representado, sejam tomadas providências cabíveis e efetivas. A legenda não tolera qualquer forma de assédio e atuará fortemente para que medidas definitivas sejam adotadas. Temos uma história de luta em defesa dos direitos da mulher que nenhuma pessoa pode macular. " Além de Cury, o Cidadania possui apenas outro representante na Alesp, que também é homem.

 

"CONSTRANGIDO" 
Após a divulgação das imagens, o deputado estadual Fernando Cury subiu à tribuna e se disse "triste e constrangido" com a repercussão do episódio, apesar de negar que tenha cometido qualquer tentativa de assédio. 

 

"Gostaria de frisar a todos, principalmente as mulheres que estão aqui, que não houve, de forma alguma, da minha parte, a tentativa de assédio, importunação sexual ou qualquer outra coisa ou qualquer outro nome semelhante a esse. Eu nunca fiz isso na minha vida toda", afirmou. 

Histórico de Conteúdo