Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Segunda, 14 de Dezembro de 2020 - 09:14

Faroeste: STJ afasta secretário Maurício Barbosa e chefe de gabinete da SSP

por Bruno Luiz / Fernando Duarte / Cláudia Cardozo

Faroeste: STJ afasta secretário Maurício Barbosa e chefe de gabinete da SSP
Maurício Barbosa, secretário de Segurança Pública | Foto: Divulgação/SSP

O secretário de Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, foi afastado do cargo por um ano. Além disso, ele está proibido de frequentar as dependências da pasta e de manter contato com funcionários do órgão.

 

As medidas foram determinadas pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Og Fernandes, no âmbito das 6ª e 7ª fases da Operação Faroeste, deflagradas nesta segunda-feira pela Polícia Federal. Barbosa é alvo de mandados de busca e apreensão nesta manhã (veja aqui). A casa e o gabinete dele na SSP receberam a visita de seus colegas de corporação - o secretário é delegado licenciado da PF. 

 

Além de Barbosa, também foi afastada das funções a delegada Gabriela Macedo, chefe de gabinete do secretário. Ela é suspeita de vazar informações sigilosas antes de operações policiais que tinham como alvos investigados na Faroeste. Um dos beneficiados por ela foi o quase cônsul da Guiné-Bissau Adailton Maturino, considerado chefe do esquema de venda de sentenças no Judiciário baiano, desbaratado pela Faroeste. Além disso, Gabriela seria responsável pelo transporte de jóias de Carlos Rodeiro. A assessoria do joalheiro nega qualquer relação entre ele e a investigada.



Gabriela Macedo e Carlos Rodeiro | Foto: Reprodução / Valterio Pacheco

 

Conhecido da alta sociedade baiana, o joalheiro é suspeito de auxiliar a ex-presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, desembargadora Maria do Socorro Barreto Santiago, no crime de lavagem de dinheiro, por meio da venda de joias para ela. Rodeiro nega irregularidades. "Não há qualquer envolvimento por parte do empresário e joalheiro Carlos Rodeiro na referida operação. Ele não é e não foi suspeito de nenhuma atividade ilícita. Ano passado, em depoimento prestado à Polícia Federal, ele apenas reconheceu as poucas joias - de prata e banhadas a ouro - que haviam sido compradas em sua loja por Maria do Socorro Barreto Santiago. Quando também apresentou as notas fiscais referentes às mesmas", afirma a assessoria dele.

 

NOVAS FASES

A Faroeste apura nestas novas fases se Barbosa e Gabriela atuariam na "blindagem institucional" do esquema de venda de sentenças para tentar proteger investigados. O objetivo é a desarticulação de possível esquema criminoso voltado à venda de decisões judiciais por juízes e desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA). (Atualizada às 15h29)

Histórico de Conteúdo