Energia será racionada até o dia 26 de novembro no Amapá, diz companhia elétrica
Foto: Rudja Santos/ Amazônia Real

Municípios do Amapá já estão há 11 dias sem energia e o problema está longe de acabar. A Companhia de Eletricidade do estado (CEA) disse que o racionamento no fornecimento de energia elétrica deve durar mais 13 dias, chegando até 26 de novembro.

 

Segundo informações do G1 AP, esse é o prazo para que um transformador vindo da subestação de Laranjal do Jari, no sul do estado, chegue a capital Macapá, que fica a 265 quilômetros de distância. "O racionamento tem uma previsão até o transformador ser colocado na subestação. A gente tem uma previsão por volta do dia 26. Ontem teve problema no transporte, a balsa que levava até lá não estava dimensionada. Temos essa informação via acompanhamento dessa situação", explicou Marcos Pereira, diretor-presidente da CEA.

 

De acordo com a publicação, o equipamento vai substituir um dos transformadores danificados no incêndio que atingiu a principal subestação do estado, no dia 3 de novembro. Ele abastecia 13 dos 16 municípios do Amapá.

 

Enquanto o problema não é totalmente solucionado, o diretor-presidente da CEA disse que a cobertura de energia vai ser ampliada com transformadores termelétricos, abastecidos por combustível. "A gente trabalha com esse cenário, temos uma previsão de energia adicional de termelétricas contratadas pela Eletronorte, que é um cenário um pouquinho mais curto que esse do dia 26. A gente vai ter um cenário de 8 a 10 dias subindo para pelo menos 90%", afirmou.

 

Atualmente, as cidades atingidas pelo apagão tem cerca de 80% da capacidade de fornecimento, o que obriga cerca de 90% da população a viver em racionamento com rodízio de seis horas de energia.

Histórico de Conteúdo