Quinta, 22 de Outubro de 2020 - 16:40

Homem sofre tentativa de homicídio dentro de casa em Salvador; família crê em homofobia

por Bruno Luiz / Matheus Caldas

Homem sofre tentativa de homicídio dentro de casa em Salvador; família crê em homofobia
Foto: Arquivo pessoal

Com golpes de faca e pedradas, um homem sofreu uma tentativa de homicídio na madrugada da última terça-feira (21), no apartamento em que mora, no bairro da Vila Ruy Barbosa, na Cidade Baixa, em Salvador. A vítima é o cabeleireiro Rauan Pereira dos Santos, 29, que está internado em estado grave no Hospital Geral do Estado (HGE). A irmã dele, Naiara Pereira, crê que a homofobia foi a motivação do crime, uma vez que ele teria tido relações sexuais com os dois suspeitos.

 

“A pessoa que fez isso, provavelmente, fez por homofobia. Acredito que tiveram relação, porque vi camisinha e tudo. Tentaram matar ele de qualquer forma. Desferiram golpes de faca e atingiram a cabeça dele com pedra”, disse, em entrevista ao Bahia Notícias. 

 

Esta possibilidade, no entanto, não é a mais trabalhada pela Polícia Civil, que trabalha com a possibilidade de tentativa de latrocínio. Em nota enviada ao BN, a corporação afirmou que a perícia realizada no local “não indica que o crime teve motivação homofóbica”. Agora, o delegado responsável pelo caso aguarda o laudo.

 

“A 3ª DT/Bonfim está apurando a tentativa de latrocínio, ocorrida na madrugada de terça, em Vila Rui Barbosa. De acordo com informações, dois homens subtraíram o aparelho celular, uma quantia em dinheiro e a motocicleta da vítima, além de atingi-lo com golpes de faca e uma pedra”, diz trecho da nota.

 

Para Naiara, o crime foi premeditado. “Não conheço os suspeitos, mas, com certeza, foi premeditado. Mas uma das facas que estavam lá era uma daquelas enormes de peixaria. Não era dele. E duas pedras que estavam lá já levaram na intenção de mata-lo. Por isso digo que foi algo homofóbico. Foi premeditado”, desabafou.

 

“Foi homofobia. Como uma pessoa tem relações com a outra e depois tenta matar essa mesma? É porque não aceitou que ele é homossexual. Tenho certeza que é isso”, contestou. 

 

Segundo a Civil, os suspeitos, que ainda não foram identificados, roubaram da vítima o aparelho celular, uma quantia em dinheiro e a motocicleta.

Histórico de Conteúdo