Quarta, 23 de Setembro de 2020 - 10:41

Rui nega abertura de escolas particulares: 'Morre uma sala de aula por dia de Covid-19'

por Bruno Luiz / Lucas Arraz

Rui nega abertura de escolas particulares: 'Morre uma sala de aula por dia de Covid-19'
Foto: Bruno Luiz / Bahia Notícias

O governador Rui Costa classificou como falta de sensibilidade humana a atitude de colégios particulares da Bahia, que, em carta aberta a ele e ao prefeito de Salvador, ACM Neto, cobraram respostas sobre a volta às aulas presenciais. O gestor relacionou os 46 óbitos em decorrência da Covid-19 no estado nas últimas 24 horas com a capacidade máxima de uma sala de aula para argumentar o motivo de não atender o pleito das empresas de ensino.  

 

“É como se morresse uma sala de aula com 44 alunos todos os dias. Um colégio particular acharia normal se todo dia morresse uma sala de aula? Esse colégio funcionaria normalmente?”, questionou, nesta quarta-feira (23), o governador.  

 

O petista ainda classificou como falta de sensibilidade o pedido das escolas. “Parece que as pessoas acham que vai morrer só outro. Que ninguém da sua família vai morrer. Ou são pessoas idosas. A sensação que tenho é que as pessoas perderam a referência e a solidariedade com a vida humana”, disse Rui. 

 

Sobre a reabertura das atividades no estado, o governador declarou que o plano será flexibilizar paulatinamente os protocolos de quarentena no estado para evitar um segundo pico de contágio. 

 

A Bahia tem mantido o número de casos ativos da infecção pelo coronavírus sem muitas alterações nos últimos dias. O total nesta terça-feira (22) segundo boletim da Secretaria da Saúde (Sesab) era de 7.710. Maior que a segunda (21) em que eram 7.454 e que o domingo (20) que o estado somava 7.593 pessoas ainda doentes. 

 

O petista participou da entrega do trabalho de contenção de encosta realizado na Rua Fé em Deus, bairro do IAPI nesta quarta-feira (23). 

 

TESTAGEM DE ALUNOS

O governador disse, ainda, que vai estender para a região de Cajazeiras, em Salvador, a testagem de alunos e funcionários da rede estadual. Atualmente, o processo acontece no Subúrbio Ferroviário. A partir dos resultados, a gestão estadual pretende planejar a retomada das aulas. 
 

"Vamos continuar fazendo [testagem], primeiro para disponibilizar alunos, professores e funcionários a oportunidade de se testar. E porque queremos fazer um mapeamento da situação do público escolar. Mas não significa que isso dá um horizonte de retorno às aulas. O retorno está vinculado ao número de mortos e ocupação de leitos de hospital", explicou. (Atualizada às 12h40)

Histórico de Conteúdo