Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Dallagnol atribui saída da Lava Jato a problema de saúde da filha: 'Decisão correta como pai'
Foto: Reprodução/Youtube

Deltan Dallagnol, o coordenador da Lava Jato em Curitiba, divulgou um vídeo em que explica o motivo que o levou a deixar o comando da força-tarefa (leia mais aqui) e pediu que a população siga apoiando a causa. O procurador da República alegou motivos pessoais para deixar a função. 

 

No vídeo Deltan explica que ele e a esposa notaram sinais de regressão desenvolvimento na filha do casal de um ano e 10 meses. A criança está sendo submetida a exames e testes para diagnóstico. Dallagnol explicou que os médicos levantaram suspeitas e que a criança será submetida a terapias e tratamento que vão exigir tempo dos pais.

 

"Agora é hora de eu me dedicar de modo especial à minha família, vou continuar trabalhando como procurador da República, mas as horas extras que eu investia, noites, finais de semana e feriados, vou precisar focar na família", justificou Dallagnol ao acrescentar que foi uma decisão difícil, mas a correta a tomar.

 

A saída de Deltan do cargo ocorre em meio a ofensiva na justiça para evitar que o Conselho Nacional do Ministério Público abrisse um processo administrativo disciplinar contra ele, o que poderia evoluir para seu afastamento da coordenação da força-tarefa. 

 

No vídeo o procurador afirma que a operação "vai continuar firme fazendo seu trabalho". Ele ainda pede que a população siga apoiando e acreditando na Lava Jato. 

 

"Se você apoia a força tarefa continue a apoiar. Mas decisões que estão sendo tomadas em Brasília afetarão o seu trabalho, a força tarefa tem muito para fazer e precisa do seu suporte", disse Deltan. 

 

Ele ainda anunciou que o substituto no comando da força tarefa será Alessandro de Oliveira, "um procurador competente".

 

Assista o vídeo:

 

Histórico de Conteúdo