Titular do Sindifibras-BA esquece câmera ligada após entrevista e desmente próprio discurso
Foto: Reprodução/TV Record

O presidente do Sindicato das Indústrias de Fibras Vegetais no Estado da Bahia (Sindifibras), Wilson Andrade, deu entrevista à reportagem da TV Record e depois de falar com a jornalista Adriana Araújo esqueceu de encerrar a chamada de vídeo. Com a câmera ainda ligada ele admitiu que existe um “esquema completamente irregular” em relação às condições de trabalho em campos de Sisal na Bahia.

 

Assista o vídeo:

 

A reportagem foi ao ar no programa "Repórter Record Investigação" desta semana. 

 

Durante a entrevista a Adriana Araújo, Wilson Andrade assegurou que o setor fornecia condições de trabalho adequadas. Ele afirmou que tudo estava dentro do padrão exigido pelas leis brasileiras. Mas após se despedir da jornalista, ele esqueceu de encerrar a chamada e ao conversar com o assessor desmentiu o próprio discurso.

 

No vídeo ele aparece falando que “a defesa está feita". "Ela [a jornalista Adriana Araújo] está querendo colocar [a culpa] na conta da indústria”, diz. “O esquema é completamente irregular. Não tem registro, o cara trabalha como autônomo. Chega na sua fazenda, tira o sisal. Metade é seu, metade é meu. Tá errado, ela tem razão (…) Agora, você tem que defender naquilo que pode, tá certo?”, diz o presidente do sindicato em seguida.

 

A Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura da Bahia (Seagri), informa que o setor movimentou US$ 100 milhões por ano, cerca de R$ 543 milhões na cotação atual do dólar. A reportagem do “Repórter Record Investigação” denunciou as jornadas de trabalho exaustivas, lavradores que foram mutilados em equipamentos e crianças que precisam ajudar os pais nas plantações. Grande parte dessas pessoas não recebe nem um salário mínimo. As informações são do portal Hugo Gloss.

Histórico de Conteúdo