Para fase 2 de retomada, ocupação de UTIs não precisa ser de 70% por dias consecutivos
Foto: Valter Pontes/ Secom

O prefeito de Salvador, ACM Neto, explicou nesta sexta-feira (31) o protocolo para início da fase 2 de retomada econômica, que engloba reabertura de bares, restaurantes, salões de beleza, academias, entre outros estabelecimentos. Ele detalhou que, para esta etapa ser acionada, não é necessário que a ocupação dos leitos de UTI atinja 70% por cinco dias consecutivos.

 

“Eu não preciso ter 5 dias consecutivos, um atrás do outro. Ontem, nós fechamos em 68%. Se hoje fechar em 71%, um dia já contou. Eu não recomeço a contagem do zero”, afirmou Neto em entrevista coletiva durante inauguração das obras de requalificação do Jardim Brasil. Como a contagem regressiva para a fase 2 começou - agora são necessários mais quatro dias de taxa em ou abaixo dos 70% - o prefeito afirmou que deve publicar os protocolos de retomada no início da próxima semana. 

 

A segunda fase estará liberada a partir do dia 7 de agosto, quando se completa 14 dias do início da primeira etapa - a prefeitura condicionou o avanço nos protocolos ao impacto da reabertura de shoppings, templos religiosos e comércio de rua de 200 m² (entenda aqui). Neto quer avaliar, neste prazo de duas semanas, se a retomada inicial vai influenciar na ocupação dos leitos de UTI.

 

O prefeito ainda comemorou o fato de a taxa ter chegado aos 68% - esta foi a primeira vez que o percentual ficou abaixo dos 70% desde maio. Na avaliação dele, os números indicam que o pior momento da pandemia já passou e que ela se encaminha para uma trajetória descendente.  

 

“É importante destacar que ontem tivemos o melhor dia na relação de alta e internamentos, com saldo positivo de 35 leitos. Esse é um indicativo muito bom, assim como o número diário das UPAs, que está cada vez melhor. Nos últimos dias tem sido assim, no máximo três pacientes esperando regulação para leitos de UTI”, celebrou.

 

Outro dado destacado por Neto é a redução do número de pessoas sepultadas na capital baiana, que ficou em nove entre quarta (29) e quinta (30). “Há muito tempo, isso não é inferior a 15”, ressaltou. 

Histórico de Conteúdo