Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Terça, 07 de Julho de 2020 - 11:48

Salvador condiciona reabertura de shoppings e templos a 75% de ocupação nas UTIs

por Bruno Luiz / Ailma Teixeira

Salvador condiciona reabertura de shoppings e templos a 75% de ocupação nas UTIs
Foto: Reprodução/ Zoom

Shoppings, igrejas e comércio de rua acima de 200m² estão entre os estabelecimentos de Salvador que poderão reabrir quando a ocupação dos leitos atingir 75%. Eles integram a fase 01 do protocolo de reabertura do comércio, elaborado em conjunto pela Prefeitura de Salvador e pelo Governo da Bahia. As medidas foram anunciadas na manhã desta terça-feira (7), em coletiva de imprensa virtual, concedida pelo governador Rui Costa (PT) e pelo prefeito ACM Neto (DEM).

 

O democrata esclareceu que essa etapa não será acionada de imediato quando a ocupação dos leitos de UTI chegar a 75%, mas após pelo menos cinco dias nessa faixa. Atualmente, 79,5% dos leitos de UTI para Covid-19 na rede municipal e na rede estadual estão ocupados. Cumprida esta meta e atendidos os critérios definidos pelo poder público, enfim shoppins, templos religiosos, igrejas, comércio de rua e drive-in poderão funcionar.

 

Na sequência, a fase 02: quando a ocupação estabilizar por pelo menos cinco dias em uma faixa até 70%, será autorizada a reabertura de academias de ginástica e similares; barbearias, salões de beleza e similares; centros culturais, museus e galerias de arte; lanchonetes, bares e restaurantes. Vale ressaltar que os salões instalados dentro de shoppings terão que esperar a segunda etapa do plano para entrar em funcionamento.

 

Então, quando a cidade atingir a estabilização nos leitos de UTI na faixa até 60% por pelo menos cinco dias, a fase 03 será executada: a prefeitura vai liberar a reabertura de parques de diversões e parques temáticos; teatros, cinemas e demais casas de espetáculo; clubes sociais, recreativos e esportivos; e centros de eventos e convenções.

 

"A decisão de fazer um protocolo comum, conjunto, foi a mais acertada. Fechamos no domingo uma proposta comum de protocolo. Todos os critérios levam em conta a opinião de profissionais da área de saúde, e não a vontade do prefeito ou do governador", ressalta Neto.

 

O prefeito pontua que a retomada dessas atividades também deverá ocorrer de forma gradual e progressiva, em ciclos de 14 dias. O objetivo com isso é avaliar o impacto da reabertura em cada etapa no sistema de saúde antes de deliberar sobre as ações seguintes. Esse é um dos "princípios" destacados pela gestão municipal para indicar como, quando e quais setores serão reabertos a cada momento. "O primeiro princípio é a preservação da vida", frisa Neto. 

 

Outros pontos considerados são os critérios técnicos e científicos, pautados em indicadores epidemiológicos, e a análise de risco de transmissão do vírus em comparação com o impacto econômico de cada atividade.

 

Dados apresentados na coletiva mostram que a capital dispõe de 1.361 leitos, sendo 736 clínicos e 625 de UTI. Até essa segunda (6), a ocupação é de 67,7% no caso dos leitos comuns e de 79,5% de UTI, o que o prefeito ACM Neto avalia como um sinal de estabilidade na entrada diária de pacientes. No entanto, tanto ele quanto o governador reconhecem que os níveis estão elevados.

 

Confira abaixo as regras previstas para cada setor na fase 01 do plano:

 

SHOPPINGS E CENTROS COMERCIAIS:
Os shopping e centros comerciais poderão funcionar de segunda a sábado, das 12h às 20h. Enquanto isso, o drive thru poderá funcionar, mas as praças de alimentação só vão poder atender através do sistema de delivery.

 

O limite de espaço impõe que fique uma pessoa a cada 9m² e, dentro das lojas, uma pessoa a cada 5m². No estacionamento, apenas 50% das vagas poderão ser preenchidas.

 

É importante salientar que os funcionários desses estabelecimentos deverão ser testados antes retomarem o serviço e, em seguida, a cada 21 dias.

 

COMÉRCIO DE RUA
O comércio de rua poderá funcionar de segunda a sexta, das 10h às 16h - horário que não coincide com abertura e fechamento dos shoppings. Também neste caso, cada loja não pode ter mais de uma pessoa a cada 5m² e ostacionamentos só poderão ser ocupados até 50% da capacidade. Como em outros espaços, o uso de máscaras é obrigatório, eventos estão proibidos e pessoas no grupo de risco da Covid-19 deverão ter atendimento prioritário.

 

TEMPLOS
Os templos e igrejas poderão funcionar também segunda a sábado, das 19h às 12h. Já nos domingos, eles não terão horário de restrição. A ocupação, no entanto, deverá ser até 20% da capacidade do salão ou até 50 pessoas, o que for maior. Além disso, escolas, aulas e reuniões estão proibidas - a retomada atividades escolares integra um protocolo à parte - e a presença de crianças não será permitida nesses espaços.

 

DRIVE IN
Eventos na modalidade drive in somente serão realizados com demanda prévia e autorização do poder público. Como já acontece em outros estados, as pessoas deverão permanecer dentro dos automóveis e o serviço de alimentação, por exemplo, será entregue no veículo. (Atualizada às 12h23)

Histórico de Conteúdo