Bolsonaro diz que informação da OMS sobre assintomáticos pode acelerar reabertura
Foto: Marcos Correa / PR

O presidente da República, Jair Bolsonaro, indicou nesta terça-feira (9) a expectativa por uma "reabertura mais rápida" após a Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgar que a disseminação do coronavírus por assintomáticos é "muito rara" (leia mais aqui).

 

"Ontem a OMS também disse que a transmissão de pessoas assintomáticas é praticamente zero. Muitas lições serão tomadas. Isso pode sinalizar a uma abertura mais rápida e do comércio e a extinção de medidas mais rígidas autorizadas pelo STF e por prefeitos e governos estaduais. O governo federal não participou disso. Vai ter muita discussão", disse.

 

Em mais uma fala de ataque à imprensa, o presidente citou que o "pânico pregado por parte da grande mídia" está se dissipando com a informação da entidade mundial.

 

"Esse pânico que foi pregado lá atrás por parte da grande mídia começa talvez a se dissipar levando em conta o que a OMS falou por parte do contágio dos assintomáticos", indicou.

 

Apesar da informação da OMS, existem ressalvas que foram citadas por Maria van Kerkhove, chefe do programa de emergências da entidade. Ela ressaltou que há diferenças entre assintomáticos e pré-sintomáticos - pessoas que ainda não têm sintomas, mas vão desenvolvê-los. Essas pessoas transmitem mais intensamente no início da contaminação. Além disso, a OMS não indicou o fim do isolamento social por causa desta informação. 

Histórico de Conteúdo