Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quinta, 04 de Junho de 2020 - 10:45

Reparação: Ivete Sacramento deixa secretaria e vira opção para vice de Bruno Reis

por Fernando Duarte

Reparação: Ivete Sacramento deixa secretaria e vira opção para vice de Bruno Reis
Foto: Valdemiro Lopes/ CMS

A “carta na manga” para a vaga de vice na chapa que deve ser liderada por Bruno Reis na corrida pelo Palácio Thomé de Souza é a secretária de Reparação, Ivete Sacramento (entenda aqui). A ex-reitora da Universidade Estadual da Bahia (Uneb) deve ser exonerada pelo prefeito ACM Neto para se tornar uma opção, em caso de uma configuração que demande uma interlocução maior com a comunidade negra. Ivete se filiou, sem alarde, no Republicanos e é outro “trunfo” da gestão municipal, para buscar uma chapa equilibrada na sucessão soteropolitana.

 

Além de Ivete Sacramento, a secretária de Promoção Social e Combate à Pobreza, Ana Paula Matos (PDT), é uma das opções articuladas pelo grupo político de ACM Neto para compor a chapa com Bruno Reis. No entanto, a ligação muito próxima de Ana Paula e a eventual não adesão do PDT ao projeto político a ser comandado pelo atual vice-prefeito pode ser um empecilho nesse processo.

 

A atual titular da Reparação é reconhecida pela interlocução com o movimento negro, ainda que tenha mantido relações próximas com o carlismo desde a época do ex-senador Antônio Carlos Magalhães. Ivete Sacramento era reitora da Uneb quando a política de cotas, inédita no país, foi implantada na Bahia, ainda nos anos 2000. Recém-filiada ao Republicanos, ela pode desbancar a indicação formal do partido para a vaga de vice, o ex-deputado estadual Manassés, que também ingressou no partido com esse objetivo.

 

Com a tendência de que as candidaturas de oposição serem capitaneadas por mulheres negras, a exemplo da Major Denice Santiago (PT) e Olívia Santana (PCdoB), o nome de Ivete Sacramento pode ganhar força ao ampliar a interlocução de Bruno Reis com esses segmentos. A estratégia foi adotada por ACM Neto em 2012, quando a então desconhecida Célia Sacramento emergiu para ser alçada a condição de vice pelo PV.

Histórico de Conteúdo