Quarta, 27 de Maio de 2020 - 15:11

Para dar sobrevida a Prates, PDT busca TSE para extensão de prazos eleitorais

por Lucas Arraz

Para dar sobrevida a Prates, PDT busca TSE para extensão de prazos eleitorais
Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

O PDT da Bahia se juntou a um movimento nacional que pede ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a ampliação dos prazos de desincompatibilização da administração pública para pré-candidatos a prefeituras neste ano que estão exercendo cargos públicos na área de saúde. 

 

No meio da pandemia do novo coronavírus, postulantes ao Executivo Municipal deste ano tem até a próxima semana, no dia 4 de junho, para deixarem os cargos. É o caso do secretário de saúde de Salvador e pré-candidato do PDT à prefeitura da capital, Leo Prates. 

 

Se for mantido na secretaria, Prates fica, sem extensão dos prazos, impedido de concorrer às eleições. 

 

A ideia do movimento incorporado pelo PDT baiano é que o TSE amplie o prazo de saída para secretários e gestores de unidades hospitalares para evitar trocas nesses postos durante o enfrentamento a Covid-19. 

 

“Consultamos o TSE para saber se, devido a pandemia, as pessoas das áreas de saúde vão ter a mesma prerrogativa que Policiais Militares, que têm mais tempo para se filiarem”, declarou o presidente estadual do PDT na Bahia, Félix Mendonça Jr. 

 

Nos bastidores, mesmo com a ampliação de prazos, a continuidade da pré-candidatura de Prates é tida com incerteza. Na avaliação de aliados do Palácio Thomé de Souza, o deputado estadual licenciado não reuniu condições políticas o suficiente para deixar a secretaria de saúde e bancar uma candidatura independente da gestão do prefeito ACM Neto (DEM), a qual ele faz parte. O prefeito anunciou como candidato à sucessão o vice-prefeito Bruno Reis (DEM). 

 

Nesse cenário, o PDT poderia indicar o vice de Bruno Reis com Prates ou a secretária Ana Paula Matos, recém-filiada a sigla (veja aqui). “O PDT não pretende ser vice”, refutou Félix Mendonça Jr. 

 

No entanto, o presidente estadual reconheceu que essa será uma decisão que também irá ouvir a Executiva Nacional do PDT. “Em todas as capitais do Brasil, as decisões são conjuntas entre os diretórios estadual, municipal e nacional”. 

 

De olho em 2022, o PDT nacional busca aproximação com o prefeito ACM Neto, presidente nacional do DEM, como um possível apoio nas próxima eleições presidenciais. 

Histórico de Conteúdo