Salvador cria plano de apoio para educação a distância; aulas começam nesta segunda
Foto: Reprodução

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), anunciou nesta tarde (15) um plano de apoio a educação a distância aos alunos da rede municipal, que estão sem aulas desde o decreto que suspendeu as atividades presenciais. O plano organizado será aplicado em duas etapas, com início nesta segunda (18).

 

Nesta primeira etapa, a prefeitura de Salvador utilizará a plataforma da rede de ensino paulista "Escola Mais", que ofertou gratuitamente, por meio de um contrato de cooperação entre a unidade de ensino e a gestão municipal. 

 

A plataforma "Escola Mais Digital Salvador" atenderá inicialmente aos alunos do Fundamental II, que engloba estudantes do 6º ao 9º ano e do sistema de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Os estudantes que possuem acesso a internet terão, pela manhã, das 8h às 12h20, aulas com os professores da rede paulista, que facilitarão acesso a conteúdos de caráter universal na grade de ensino. Na parte da tarde, os conteúdos aplicados atenderão ao critério "regionalização" e os próprios professores da rede municipal irão interagir por meio de lives. 

 

 

Em videoconferência com o secretário da Educação, Bruno Barral, o prefeito alertou, no entanto, que os conteúdos disponibilizados não irão ser descontados na carga horária básica do ano letivo de 2020. Um ponto destacado pela prefeitura para a determinação desse critério é o fato de nem todos os alunos possuírem acesso a internet. 

 

"Essa é uma preocupação nossa. As condições do aluno da escola pública são muito diferentes dos alunos da rede particular. A realidade dos alunos da rede pública é que a grande maioria não tem acesso a internet", pontuou o prefeito. Alegou, no entanto, que, apesar da realidade, "não poderia ficar de braços cruzados". Neto confirmou que não há possibilidade de retorno das aulas ainda neste mês de maio.

 

Para a segunda etapa do plano, a prefeitura "está preparando uma estratégia pedagógica por um canal aberto de televisão", que ampliará os conteúdos para alunos de séries anteriores confirmou o prefeito. O canal de televisão não foi anunciado. A prefeitura aguarda finalizar o acordo já na próxima semana e a expectativa é que as aulas sejam iniciadas na primeira semana de junho.

 

Sobre a retomada do ano letivo, o prefeito foi taxativo ao afirmar que "ainda não há previsão". 

 

"As aulas não retornarão no mês de maio e há chance de sequer retornar em junho. Temos um quadro de incerteza de retomada das aulas presenciais", destacou. A proposta é criar um plano de compensação. Haverá reposição das aulas. Possivelmente teremos que  sacrificar as férias e ter que juntar o calendário de 2020 e 2021 para assegurar que as crianças não tenho o ano letivo de 2020 perdido, mas possa garantir o aprendizado dessas crianças", completou o gestor.

Histórico de Conteúdo