Quarta, 06 de Maio de 2020 - 12:40

Do PSL, baiano que criticou ACM Neto e Rui Costa a Bolsonaro pode ser candidato

por Breno Cunha

Do PSL, baiano que criticou ACM Neto e Rui Costa a Bolsonaro pode ser candidato
Foto: Reprodução / Youtube

O microempresário baiano Sidney Espinheira viu seu desabafo ao presidente Jair Bolsonaro ganhar repercussão nacional nesta terça-feira (05), quando criticou diretamente para o presidente as medidas adotadas na Bahia pelo governador Rui Costa (PT) e o prefeito ACM Neto (DEM) em relação ao isolamento social.

 

Sidney tem três lojas na capital baiana no ramo de comércio de cabelos naturais. As três estão fechadas por causa do decreto do prefeito de Salvador que proibiu o funcionamento do comércio de rua no município com mais de 200m². “Tenho três lojas, mas hoje praticamente não tenho nenhuma, porque não pode abrir”, lamentou, em entrevista ao Bahia Notícias.

 

De acordo com ele, a ideia de ir a Brasília tentar conversar com o presidente surgiu de última hora. Ele enfrentou 22 horas para ir de carro à capital federal a fim de se encontrar com Bolsonaro na porta do Palácio da Alvorada, quando diariamente o presidente cumprimenta e ouve apelos de apoiadores.

 

“Decidi de última hora porque as coisas de Salvador não estão legais. A gente percebe que existe um decreto de quarentena, mas ela é somente pra comerciantes, shoppings, quem tem loja, e realmente ela [a quarentena] não existe. A economia da nossa cidade está abalada”, acrescentou. Em suas redes sociais, ele critica a alta circulação de pessoas em diferentes bairros de Salvador.

 

“A doença existe, ninguém é louco de dizer que não existe, estamos vendo pessoas indo a óbito, infelizmente, isso é muito triste, eu fico muito estarrecido com tudo o que vem acontecendo, mas se nós não tivermos um plano de verdade para que a economia volte a girar, o que vai acontecendo hoje vai ser pequeno com o que vai acontecer daqui a meses. Porque a economia também não salva vidas”, falou.

 

De acordo com Sidney, ele, assim como outros empreendedores, são a favor da quarentena vertical, quando somente pessoas do chamado grupo de risco ficam isoladas, enquanto “o jovem, que não tem doença e não está no grupo de risco, possa voltar a trabalhar devagarzinho, com máscara, luvas, álcool em gel”.

 

Sidney Espinheira não descarta ser candidato a vereador neste ano. Ele se filiou ao PSL, antigo partido de Bolsonaro, mas admite que não tem a confirmação sobre a filiação, já que ela foi feita de forma virtual. “Sou muito ruim de internet, nem eu mesmo sei se sou filiado”, alegou.

 

“Mas minha pretensão hoje é tocar minha empresa, trazer renda pra minha família, só Deus sabe o que pode acontecer lá na frente. [Para ser candidato] a gente precisa sentar, por a cabeça no travesseiro, ver se é isso mesmo que queremos, orar ao nosso Deus, buscar as nossas lideranças espirituais sobre esse assunto”, completou.

 

 

Histórico de Conteúdo