Planalto avalia retaliar aliados que apoiaram prorrogação da CPI das fake news
Coronel e Lídice, relatora da CPI | Foto: Jane de Araújo / Agência Senado

Surpreendido com a prorrogação da CPMI das Fake News, o Palácio do Planalto agora avalia como retaliar seus aliados que apoiaram a medida. Segundo informações da Coluna do Estadão, a cúpula do governo estuda fazer um pente-fino para analisar os políticos que têm cargos e ainda assim assinaram o requerimento para que a comissão não fosse encerrada.

Eles esperavam que a oposição deixasse o assunto de lado, uma vez que o Brasil enfrenta a pandemia de coronavírus. Como isso não aconteceu, governistas cobraram dos parlamentares "traidores" e sete senadores até retiraram seus nomes da lista, mas a reversão não foi concluída com êxito.

 

De acordo com a publicação, a o presidente da comissão, o senador baiano Ângelo Coronel (PSD-BA) vai conversar com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), a fim de garantir que os trabalhos sejam retomados na próxima semana, via teleconferência.

 

Atualmente, as sessões do Congresso estão paradas e são votados apenas projetos que abordem o coronavírus e tenham consenso. Assim, a estratégia da CPMI será tratar das fake news sobre o tema.

Histórico de Conteúdo