IML do Rio diz à Justiça que corpo do miliciano Adriano está apodrecendo
Foto: Divulgação

Um documento enviado pelo Instituto Médico Legal (IML) à Justiça do Rio alertou para as más condições do cadáver do miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega, que foi morto no último dia 9 após operação policial na cidade baiana de Esplanada.

 

Segundo o G1, o ofício obtido foi assinado pela perita legista Luciana Lima na última segunda-feira (17). No texto manuscrito, ela diz que o corpo já deu entrada, vindo da Bahia, "após iniciados os fenômenos de putrefação”, já que “o óbito ocorreu há mais de uma semana”.

 

O IML também explica que “não dispõe de câmaras de congelamento de corpos” e que, por isso, é possível fazer apenas a refrigeração dos corpos, de forma a retardar a possível decomposição, mas não evitá-la totalmente. A Justiça baiana determinou um novo exame, mas, até esta quarta-feira (19), ainda não havia sido realizado. 

Histórico de Conteúdo