Setor hoteleiro informa 100% de ocupação em toda a cidade para a virada
Foto: Reprodução / Agência Brasil

A ocupação hoteleira da capital baiana até este segundo dia do Festival Virada Salvador atingiu a meta prevista pelo trade. De acordo com a seccional baiana da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-BA), o índice de leitos preenchidos já chega a 92%. Os números, contudo, irão superar as expectativas nesta terça-feira (31), quando o quantitativo alcança os 100% não apenas nas unidades hoteleiras localizadas próximo à Arena Daniela Mercury, na Boca do Rio, mas em toda a cidade.

 

Segundo o presidente da ABIH-BA, Luciano Lopes, os bons frutos que o segmento colhe tem como motivo a consolidação do evento do Réveillon soteropolitano.  “Já vínhamos monitorando a situação do turismo na cidade durante esse período. O Festival Virada Salvador entrou no nosso calendário, o que, consequentemente, tem refletido em grandes resultados para o setor hoteleiro”, disse. No total, Salvador conta com 40 mil leitos, somando aqueles fornecidos por hotéis, pousadas e albergues. 

 

ECONOMIA
Os números demonstram que o Festival Virada Salvador não é só festa, já que também representa geração de oportunidade, renda e movimenta toda a economia da cidade. A chegada dos turistas à capital baiana movimenta uma rede que envolve mais de 70 setores da economia. São hotéis, agências de turismo, mercado de hortifrúti, de carne, venda de lençóis, baianas de acarajé, casas de show e entretenimento, entre outros serviços.

 

Só para os festejos da virada de ano, a capital baiana deve receber quase 500 mil turistas. Já em toda a alta estação, ou seja, de dezembro a março, estão previstos 3,6 milhões de visitantes. Deste montante de pessoas que chegará à cidade, 56,1% são provenientes do interior do estado, 12,6% de São Paulo e 4,8% do Rio de Janeiro.

 

Os argentinos, como no ano passado, continuam sendo a maioria dos turistas estrangeiros, representando 28,7% do volume de visitantes, seguido pelos chilenos (8,8%) e franceses (8,8%). Somados, todos os visitantes irão injetar algo em torno de R$ 407 milhões na economia de Salvador. Os dados são da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult).

Histórico de Conteúdo