Vale soube de problemas nos sensores da barragem de Brumadinho antes da tragédia
Foto: Reprodução / EBC

Trocas de e-mails entre profissionais da mineradora Vale e duas empresas ligadas à segurança da barragem de Brumadinho indicam que a empresa tinha ciência dos problemas nos dados de sensores responsáveis por monitorar a estrutura da barragem. De acordo com o G1, os e-mails foram identificados pela Polícia Federal.

 

Nos depoimentos prestados por dois engenheiros da empresa TUV SUD, Andre Jum Yassuda e Makoto Namba, responsáveis por laudos de estabilidade da barragem, e a que a TV Globo teve acesso, o delegado responsável questiona Yassuda e Namba a respeito dos e-mails. Conforme apurado pelo G1, as mensagens começaram a ser trocadas no dia 23 de janeiro, às 14h38, e se prolongaram até as 15h05 do dia seguinte. A barragem se rompeu em 25 de janeiro.

 

Ainda segundo o G1, durante o depoimento o delegado disse que o assunto das mensagens "diz respeito a dados discrepantes obtidos através da leitura dos instrumentos automatizados (piezômetros) no dia 10/01/2019, instalados na barragem B1 do CCF, bem como acerca do não funcionamento de 5 (cinco) piezômetros automatizados".

 

No depoimento não consta, no entanto, detalhes sobre as mensagens. Segundo Namba, ele só tomou conhecimento das alterações dos dados fornecidos pelos sensores após o rompimento da barragem.

Histórico de Conteúdo